« Voltar

China será país homenageado da Bienal Internacional de Curitiba

 

22.2.2017 - 16:33  
Da esquerda para a direita, vice-ministro Yang Zhijin, Luciana Casagrande Pereira, presidente da Bienal, e Luiz Ernesto Meyer (Foto: Guto Moraes/Ascom MinC)
 
 
Durante cinco meses, a capital do Paraná será sede de um dos maiores eventos de literatura, arte e cinema do Brasil: a 24ª edição da Bienal Internacional de Curitiba. Com apoio do Ministério da Cultura (MinC), por meio da Lei Rouanet, o evento será realizado entre 30 de setembro deste ano e 25 de fevereiro de 2018 e terá a China como país homenageado.
 
Nesta quarta-feira (22), o vice-ministro da Cultura da China, Yang Zhijin, informou, durante visita ao MinC, que ainda estão sendo definidos os artistas chineses que participarão do evento e elogiou a iniciativa. "A Bienal é uma das mais importantes do Brasil e ficamos muito honrados em poder participar", pontuou.
 
A expectativa é que a 24ª edição da Bienal ocorra em 124 pontos da cidade, entre museus e centros culturais, e que atraia cerca de 1 milhão de visitantes. O pavilhão da China ficará em um dos pontos turísticos mais visitados de Curitiba: o Museu Oscar Niemeyer, que chega a receber público de 300 mil pessoas por ano.
 
"É o maior museu de arte da América Latina e já é parceiro da Bienal desde as últimas três edições", explica a diretora-presidente do museu, Juliana Vosnika, que também esteve no Ministério da Cultura nesta quarta-feira (22). "Para nós, é fundamental essa parceria com um país que tem uma cultura tão importante", destaca. 
 
O secretário de cultura do Paraná, João Luiz Fiani, explicou, também durante visita ao MinC nesta quarta-feira, que o incentivo via Lei Rouanet é fundamental para a viabilização do evento. "A Bienal é um processo cultural que cada vez se consolida e o apoio do MinC é fundamental para que ocorra", disse. "A China é um celeiro de cultura. Nada mais justo que homenagear um país com essa dimensão cultural", completou. 
 
O diretor-geral da Bienal, Luiz Ernesto Meyer Pereira, lembrou que o evento foi fundado em 1993 e que, desde 2007, além de arte contemporânea, passou a ter literatura e cinema. "Nesta edição, as mostras audiovisuais ocorrerão na Cinemateca de Curitiba e no Espaço Itaú Cultural. A Mostra contará com 10 diretores chineses", adiantou. O evento também contará com uma atuação importante na área educacional, ao envolver escolas e municípios. 
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura