Prêmio VivaLeitura 2014 ​vai para iniciativas de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Paraíba

Ana Wanzeler destacou a importância da leitura para o desenvolvimento do Brasil. (Foto de Elisabete Alves)
17/12/2014 - 10:15
 
Os Ministérios da Cultura (MinC) e da Educação (MEC) e a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) ​entrega​ram, na noite de terça-feira (16/12), em Brasília, o Prêmio VIVALEITURA 2014. 
 
Nesta 7ª edição, o VIVALEITURA concedeu R$ 25 mil a quatro experiências na área de leitura desenvolvidas dentro de quatro categorias: "Bibliotecas Públicas, Privadas e Comunitárias"; "Escolas Públicas e Privadas";  "Práticas continuadas de leitura em contextos e espaços diversos desenvolvidos pela sociedade"; e  "Promotor de Leitura (pessoa física)".
 
O objetivo da premiação é estimular e fomentar a leitura, seu papel na educação e reconhecer boas práticas.
 
Na avaliação da ministra interina da Cultura, Ana Cristina Wanzeler, o Brasil só dará o salto de qualidade que seus cidadãos desejam e precisam "quando formos um país de leitores". "Eu digo aos jovens que nunca percam a esperança. A educação e a leitura podem levá-los aonde eles quiserem", reforçou​,​ ao contar ​parte de​ sua própria história de conquistas profissionais com base em muito estudo e dedicação.
 
O evento foi realizado no Salão Nobre na Câmara dos Deputados e contou também ​com a participação da Secretária de Educação Básica do Minist​ério​ da Educação, Maria Beatriz Luce, que representou o ministro Henrique Paim; da diretora da OEI no Brasil, Ivana de Siqueira​;​ do Secretário Executivo do Plano Nacional do Livro e Leitura do MinC, José Castilho Marques Neto;  da presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL), Karine Pansa; da deputada federal e senadora eleita Fátima Bezerra (PT-RN), que coordena a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Livro e Leitura e representou a Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados, entre outros convidados.

Vencedores

Na categoria "Bibliotecas Públicas, Privadas e Comunitárias", a biblioteca comunitária Barca dos Livros de Florianópolis (SC) foi a vencedora. Com um acervo de 14 mil livros, a iniciativa já ​promoveu​ 115 encontros com autores e lançamentos de livros, 85 saraus literários e 664 visitas de escolas, além de atividades de leitura dentro​ de​ um barco que percorre a Lagoa da Conceição.
 
Na categoria "Escolas Públicas e Privadas", a vencedora foi a Escola Estadual João Colombo, do Paraná, que fez, em parceria com a Universidade do Paraná, um trabalho de formação por meio de estratégias como roda de poesia, atividades via internet e leitura para idosos.  
 
A categoria "Práticas continuadas de leitura em contextos e espaços diversos desenvolvidos pela sociedade" teve como vencedor o Laboratório de Humanidades da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), de São Paulo. O grupo de leitura e discussão de obras literárias nasceu há pouco mais de oito anos e, atualmente, reúne alunos de Enfermagem, Biomedicina e Fonoaudiologia, além de funcionários, para abordar a "humanização da saúde por meio da leitura". O tema tornou-se atividade creditada no programa de pós-graduação da universidade em 2009.
 
​N​a categoria "Promotor de Leitura (pessoa física)", o vencedor foi Jocelino Tomaz de Lima Caiçara, da Paraíba. Ele é responsável pelo Grupo Atitude, que conta com 50 voluntários no agreste paraibano para mobilizar a comunidade, incentivar a leitura entre os professores e promover atividades​,​ como a formação de três bibliotecas, a criação do Projeto Natal Literário e do programa de rádio Atitude.

Sobre o Prêmio

O prêmio VIVALEITURA​ integra o Plano Nacional de Livro e Leitura (PNLL) e tem o apoio do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e da Fundação Santillana.
 
Instituído em 2005, no Ano Ibero-americano de Leitura, o VIVALEITURA foi idealizado com previsão inicial de duração de 10 anos (2006 a 2016). Já foram realizadas seis edições do Prêmio – 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011.
 
Esta edição contou com 998 projetos inscritos de todas as regiões do país. Os​ trabalhos foram analisados por um grupo de representantes ​de ​Undime​ (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação)​, Consed​ (Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Educação)​, MinC, MEC e OEI, além de parceiros do prêmio, que selecionaram​ 20 finalistas – cinco por categoria.
 
A partir desse​s 20 finalistas, uma equipe de jurados, formada por Adelaide Ramos e Côrte, Analise de Jesus da Silva, Maria Lucia de Moura, Ronaldo Teixeira e Paulo Markun, elegeu os vencedores.
 
Além dos quatro vencedores, houve a menção honrosa "José Mindlin",​ que premiou a iniciativa da Associação Folclórica no Ponto de Cultura Tambor de Crioula Arte Nossa, de São Luís, do Maranhão. Eles fazem a leitura de mitos da cultura afro-brasileira, indígena e da cultura popular com cerca de 80 crianças em situação de rua da região. Eles também oferecem oficinas de reforço e alfabetização.
 
A homenageada desta edição foi a editora Lúcia Jurema, que faleceu no início deste ano. Suas filhas Viviane e Fernanda receberam um troféu como reconhecimento pelo trabalho dela para a o sucesso do Prêmio V​IVALEITURA​ e ouviram um tributo proferido pela educadora Lourdes Atié sobre a convivência e a dedicação de Lúcia.
 
Asessoria de Comunicação
Ministério da Cultura