O conteúdo web selecionado não existe mais.
« Voltar

Fórum de Cultura debate políticas públicas em Minas Gerais

 
 
 
Nessa quinta-feira, 9 de abril, o Circuito Cultura Viva começou a agenda de circulação por Minas Gerais, em Belo Horizonte, com a participação da secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC/MinC), Ivana Bentes, na reunião do Fórum Permanente de Cultura de Minas Gerais.
 
Com a presença do Secretário Estadual de Cultura Ângelo Oswaldo, a reunião tem como objetivo construir pontes e abrir canais de diálogo do poder público com movimentos e grupos culturais. 
 
O encontro contou com a presença de cerca de 70 fazedores de cultura, midialivristas, Pontos de Cultura, gestores públicos e ativistas de movimentos socioculturais. A discussão criou um espaço para a reflexão de novas formulações de políticas públicas que apontem alternativas para o cenário cultural mineiro. 
 
Durante a rodada de apresentação, os convidados apresentaram as perspectivas e projetos da secretaria do MinC e da secetaria estadual e comentaram a crise orçamentária da Cultura.
 
Segundo Ivana Bentes, a crise afeta diretamente a ampliação dos editais e projetos mas não deve ser vista com pessimismo. "Não queremos criar um discurso de impotência, o discurso de lágrimas não convence ninguém, queremos trabalhar com o campo do desejo e das potências. A cultura vive a crise de forma diferente, os grupos culturais não deixam de se expressar e de existir. A cultura está ligada à vida. Somos nós quem tem combatido as forças mais conservadoras da política".
 
Para Ângelo Oswaldo, o estado deve capilarizar as políticas no setor cultural. "Temos 853 municípios e não queremos fazer regionalismos, mas estamos observando as regionalidades de Minas Gerais para atender essas áreas do território que ficaram excluídas por muito tempo", afirma o secretário.
 
Durante o debate, diversos pontos foram apresentados como demandas da sociedade civil. Dentre eles, a necessidade da utilização e revitalização dos equipamentos públicos; a intensificação do diálogo com as periferias; a radicalização da participação social; a ampliação dos pontos de cultura, de memória e de mídia livre e ainda a urgência da democratização da comunicação e da valorização das experiências de jornalismo e produção de conteúdo independente.
 
 
 
O Lançamento da Lei Cultura Viva também foi relembrado durante o debate e reforçada a relevância dos Pontos de Cultura e a ampliação da rede estadual. Ao comentar a nova política de estado, a secretária afirmou que "os Pontos de Cultura é uma experiência tão inspiradora que está em 5 países da América Latina e mais 11 querem implementar. Os Pontos de Cultura são os médicos cubanos da cultura, é uma política hipercapilarizada, barata, tem um poder de viralização incrível e onde ela chega não só estanca, mas remedia e faz florecer novos arranjos produtivos da cultura.".
 
ENCONTRO DE GESTORES
Antes da participação no Fórum Permanente de Cultura de Minas Gerais, Ivana Bentes também se encontrou com gestores do estado para um diagnóstico mais amplo da realidade cultural do estado, que conta com mais de 180 Pontos de Cultura. A reunião contou com a presença do Secretário Estadual de Cultura Ângelo Oswaldo, do Secretário Adjunto Bernardo Mata Machado, do presidente da TV Minas, Israel do Vale, das representantes da Regional Ministério da Cultura em Minas Gerais, Marcia Quintão e Cláudia Houara e da diretora de interiozação da SEC Manuella Machado.