Notícias Gerais

« Voltar

Após reestruturação de áreas, MinC nomeia novos secretários

 


10.07.2018 - 9:30  

Frederico Mascarenhas, novo Secretário de Audiovisual, tem perfil técnico, vasta experiência em direito administrativo público e amplo conhecimento do setor audiovisual. Foto: Arquivo pessoal
 

Depois de promover uma reestruturação organizacional com o objetivo de ampliar a eficiência e eficácia da instituição, a atual gestão do Ministério da Cultura anunciou, nesta terça-feira (10), os nomes de quatro secretários.  

A recém-criada Secretaria de Direitos Autorais e Propriedade Intelectual (SDAPI) terá o comando do servidor federal Marcos Tavolari. A Secretaria de Diversidade Cultural (SDC), que agrega as competências das antigas secretarias de Articulação e Desenvolvimento Institucional (SADI) e de Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC), será dirigida pela servidora federal Magali Moura, que respondia interinamente pela SADI. A Secretaria de Economia Criativa (SEC), antes Secretaria de Economia da Cultura, será comandada pelo advogado e gestor público Douglas Capela. Na Secretaria do Audiovisual (SAv), o novo titular é o advogado Frederico Maia Mascarenhas.

Também há mudança na representação do Ministério da Cultura na região Sudeste, que passa a ter um comando único, como já acontece nas representações das demais regiões brasileiras. Os escritórios de Minas Gerais e de São Paulo serão chefiados por Mateus Quintal de Souza Ribeiro, que já comandava o escritório do Rio de Janeiro e Espirito Santo.  

"A reestruturação tem o duplo objetivo de fortalecer as equipes do MinC e acelerar a realização do plano de ação estabelecido para os últimos seis meses de gestão", ressaltou o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão.

Veja abaixo os perfis dos novos secretários e do chefe da Representação Regional no Sudeste:

Frederico Maia Mascarenhas - Secretaria de Audiovisual (Sav)  

Advogado, é formado em Direito (IBMEC) e possui especializações em Direito do Entretenimento (UERJ) e em Direito do Estado e da Regulação (FGV). Atuava há mais de cinco anos como Consultor Jurídico da Riofilme. O novo secretário tem perfil técnico, vasta experiência em direito administrativo público e amplo conhecimento do setor audiovisual, tendo trabalhado na área (gestão pública relacionada ao audiovisual) nos últimos dez anos.

Para Mascarenhas, os desafios são melhorar o desempenho e ampliar a eficiência. "Temos que trabalhar em equipe, desburocratizar rotinas e processos, dialogar mais com o setor audiovisual. Vamos atuar com disposição, desprendimento, profissionalismo, transparência e, principalmente, imparcialidade."

Marcos Tavolari - Secretaria de Direitos Autorais e Propriedade Intelectual (SDAPI)

Servidor efetivo da Agência Nacional do Cinema (Ancine), onde atuou como Superintendente de Desenvolvimento Econômico, é advogado graduado em Ciências Jurídicas e Sociais (UFRJ) e especialista em Propriedade Intelectual (Universidad de Castilla La Mancha- Espanha). Já estava cedido ao MinC, onde atuava como assessor especial do ministro. Para Tavolari, a criação da secretaria eleva o patamar do tema de Direitos Autorais. "Com este novo órgão, daremos a devida atenção, dimensão e a abrangência que os Direitos Autorais merecem. Temos um desafio urgente que é enfrentar à pirataria e o tráfico de bens culturais."

Magali Moura - Secretaria de Diversidade Cultural (SDC)  

Magali Moura coordenava a antiga Secretaria de Articulação e Desenvolvimento Institucional (SADI). Foto: Clara Angeleas (Ascom/MinC)
 

Servidora pública federal desde 1984, é formada em Letras e Direito e possui especialização em Gestão Pública (ENAP). Antes de assumir a nova SDC, respondia interinamente pelo comando da hoje extinta SADI. Seu desafio, indica Magali, é garantir que as ações já iniciadas sejam concluídas com êxito. "Temos que finalizar esta edição do Prêmio Culturas Populares, que teve o maior aporte de recursos da história em relação a outras edições. Dar sequência à reestruturação do Programa Cultura Viva, enfrentando o passivo e promovendo a repactuação dos convênios com estados e municípios. Além disso, dar continuidade às ações de fortalecimento do Sistema Nacional de Cultura e do Plano Nacional de Cultura, de reestruturação do CNPC e de preparação do Projeto do Bicentenário da Independência do Brasil."

Douglas Capela - Secretaria de Economia Criativa (SEC)  

Douglas Capela ocupou diversos cargos de liderança no Brasil e no exterior, entre eles a Diretoria Internacional do Banco do Brasil. Foto: Clara Angeleas (Ascom/MinC)
 

Advogado e gestor público, com MBA de Altos Executivos BB pela Fundação Getúlio Vargas, foi servidor do Banco do Brasil, onde ocupou diversos cargos de liderança no Brasil e no exterior, entre eles a Diretoria Internacional do Banco. Antes da indicação à SEC, atuava como diretor de Finanças e Administração do Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal. Para Capela, o momento brasileiro é muito propício para que se amplie a atenção e o apoio do MinC ao desenvolvimento da economia criativa. "Nosso grande desafio é fazer com que as políticas públicas acompanhem e apoiem cada vez mais esse novo formato de economia, fazendo com que seja reconhecido como grande gerador de resultados, com baixíssimo investimento do Estado", ressalta.

Mateus Quintal de Souza Ribeiro – Representação Regional na Região Sudeste

Publicitário, com pós-graduação em Gestão Pública e especialização em Contratos e Convênios, Mateus Quintal deixa a chefia do Escritório Regional do Rio de Janeiro e Espírito Santo para comandar a nova regional Sudeste. Segundo ele, a atenção do MinC aos estados da região será mantida. "O mesmo trabalho que estamos fazendo no Rio e no Espírito Santo, esperamos fazer com sucesso em Minas Gerais e em São Paulo. São estados muito fortes em geração de cultura, que merecem a presença atuante do MinC."


Mais informações:
Assessoria de Comunicação do Ministério da Cultura
imprensa@cultura.gov.br
(61) 2024-2256/2456/2412