Dia do Ministro

Memorial deve compor comemoração dos 200 anos da Independência

 

 

 
31.01.2018 - 16:00   

Fabrício Tanure, assessor especial do Ministério da Cultura; general Claudio Coscia Moura, chefe do Departamento de Engenharia e Construção do Exército; ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão; general de Divisão, Julio César de Arruda; e Carlos Madson, superintendente do Iphan (Foto: Ronaldo Caldas / Ascom MinC)

 
 
O comando do Exército Brasileiro apresentou, nesta quarta-feira (31), ao ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, o projeto arquitetônico do Memorial dos Heróis da II Guerra Mundial e do Túmulo do Soldado Desconhecido. A construção do memorial, no Eixo Monumental de Brasília, faz parte da proposta do Ministério da Defesa para as comemorações dos 200 anos da Independência, coordenadas pelo Ministério da Cultura (MinC).
 
O projeto aprovado pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, prevê um memorial moderno que combinará história e interatividade. Na área externa estarão painéis com todas as batalhas das quais o Brasil participou na II Guerra Mundial, um monumento em homenagem às três armas e outro inspirado na espada. O acesso ao memorial se dará por um túnel.
 
Na parte interna, além de auditório, estão planejados: um ambiente com a chama eterna – homenagem aos pracinhas da Força Expedicionária Brasileira – que conta a história das Forças Armadas no Brasil; e a sala do silêncio, onde estará um túmulo de terra, com fuzil e capacete, em homenagem aos soldados que morreram na II Guerra. Estão previstas ainda uma exposição do acervo histórico da Forças Armadas, com painéis interativos, e uma sala para crianças – também interativa.
 
Para o ministro da Cultura, o projeto do memorial está em sintonia com os princípios das comemorações dos 200 anos da Independência. "A ideia de que nós precisamos contribuir para gerar uma identidade maior da nossa população com a nossa história, com os nossos valores e com os nossos princípios é absolutamente chave. Todo o projeto dos 200 anos gira em torno disso. Não é apenas a celebração de uma data cívica, mas é tentar contribuir para que os brasileiros se reencontrem com a sua história e seus valores", afirmou Sá Leitão.
 
Segundo o general Claudio Coscia Moura, chefe do Departamento de Engenharia e Construção do Exército, o projeto arquitetônico está pronto e, ao longo deste ano, será elaborado o projeto básico, para que a licitação seja feita em 2019, de forma a garantir a inauguração do memorial em 2022, nos 200 anos da Independência. "Quase todos os países têm um memorial em homenagem ao soldado desconhecido, mas na capital brasileira não há", justificou o general Moura.
 
A construção do memorial custará cerca de R$ 20 milhões. O general disse ainda que o projeto foi encaminhado ao Governo do Distrito Federal (GDF) e ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para liberação da área, próxima à Catedral Militar Rainha da Paz. A liberação da área depende de aprovação de órgãos técnicos do GDF e da Câmara Legislativa do Distrito Federal.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura