Dia do Ministro

« Voltar

MinC e Abragames debatem estímulo ao mercado nacional de games

 


18.01.2018 - 22:05   

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão (acima), debate o estímulo ao mercado nacional de games com representantes da Abragames (Foto: Ronaldo Caldas / Ascom MinC). 
 
O Ministério da Cultura (MinC) e a Associação Brasileira das Empresas Desenvolvedoras de Jogos Digitais (Abragames) estão trabalhando juntos para estimular o mercado nacional de games. O tema foi tratado nesta quinta-feira (18), em São Paulo, em reunião com o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, e a diretoria da associação.
 
A diretora-executiva da Abragames, Eliana Russi, apresentou ao ministro um panorama do setor de games no Brasil. O país é hoje o 13º maior mercado do mundo, com 66 milhões de usuários, mas a maior parte dos jogos comercializados ainda são produzidos no exterior. "Esses dados mostram o enorme potencial de mercado para as empresas brasileiras. Precisamos buscar fórmulas de fomentá-las, de estimulá-las", afirmou Eliana. A diretora também destacou que, ao contrário de outros setores, as empresas brasileiras de jogos eletrônicos não estão concentradas apenas no eixo Rio – São Paulo, mas distribuídas por todo o país.
 
Segundo a consultoria PricewaterhouseCoopers, o gasto com games no Brasil em 2016 chegou a US$ 644 milhões. Em 2021, a expectativa é que chegue a US$ 1,4 bilhão, um crescimento médio de 17% ao ano.
 
As empresas brasileiras de games também buscam espaço no mercado exterior. De 2013 a 2017, a exportação brasileira de games cresceu mais de 600%, segundo dados da Abragames. No ano passado, 93 empresas nacionais exportaram cerca de R$ 17,4 milhões em jogos. "O crescimento vem sendo substancial. Já temos, inclusive, jogos brasileiros premiados fora do País", informou Eliana.
 
Uma das formas de fomentar o setor é por meio de editais. A Agência Nacional do Cinema (Ancine), instituição vinculada ao MinC, lançou, em 2016 e 2017, dois editais exclusivos para a produção de jogos eletrônicos para exploração comercial em consoles, computadores e dispositivos móveis. Nas duas edições, foram investidos R$ 20 milhões. "Foi um edital importante, que entusiasmou muito o nosso setor", afirmou Eliana.
 
A diretoria da Abragames também apresentou ao ministro demandas do setor, entre elas a inclusão das empresas de games na indústria do audiovisual, o que as permitiria acesso aos benefícios da Lei do Audiovisual. Sá Leitão afirmou que o MinC vai analisar o pedido.
 
Além do ministro Sá Leitão e de Eliana Russi, participaram da reunião, pelo MinC, o secretário do Audiovisual, João Batista Silva e, pela Abragames, o presidente, Fernando Chamis, o vice-presidente, Paulo Santos, o diretor de Relações Institucionais, Ale Machado, a gerente de Comunicação, Marina Pecoraro, o diretor de Serviços aos Associados, Vicente Vieira, e o diretor de Games para Aprendizagem, Impacto Social e Saúde, Mário Lapin.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura