« Voltar

Circuito #CulturaGeraFuturo leva informações e oportunidades a produtores culturais de Rondônia

 
 
18.05.2018-  11:11  

Acesso Rápido

 
O Ministério da Cultura (MinC) promoveu, nesta sexta-feira (18/5), no Teatro Guaporé, em Porto Velho (RO), mais uma edição do Circuito #CulturaGeraFuturo, que tem por objetivo ampliar o alcance da política cultural e dos instrumentos de fomento à cultura do Governo Federal. Esta é a 12ª edição do evento, que percorrerá todas as capitais brasileiras até julho. 
 
O circuito foi aberto pelo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, e contou com 105 participantes, entre artistas, produtores culturais, gestores públicos e incentivadores. Também participou do evento o governador de Rondônia, Daniel Pereira. Na ocasião, o ministro apresentou dados que destacam a força da cultura como eixo de promoção do desenvolvimento econômico do Brasil. Detalhou, também, as principais realizações do MinC e o aumento dos investimentos previstos para este ano.
 
"Em 2018, há R$ 1,43 bilhão disponíveis para incentivo a projetos via Lei Rouanet em todo o Brasil e cerca de R$ 1,5 bilhão para o fomento ao audiovisual, via Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e Lei do Audiovisual. Nosso objetivo é fazer com que esses recursos cheguem a um número cada vez maior de projetos, de diferentes regiões", ressaltou Sá Leitão.
 
O ministro destacou que as indústrias criativas brasileiras representam 2,64% do Produto Interno Bruto (PIB), mais do que setores importantes da economia, como têxtil e farmacêutico. Além disso, engloba 200 mil empresas e gera cerca de 1 milhão de empregos diretos e mais de R$ 10,5 bilhões em impostos. "A cultura dá ao governo muito mais do que recebe", afirmou, citando que a renúncia fiscal da área da cultura corresponde a apenas 0,64% do total.
 
Sá Leitão também ressaltou que um dos objetivos do evento é estimular as empresas e instituições locais a investirem em cultura. "Nós detectamos que há um potencial muito grande, mas ainda não realizada. Nossa intenção é estimular e conscientizar esses investidores das vantagens de apoiar a cultura local", afirmou.
 
Capacitação
 
Produtores culturais e gestores públicos de Porto Velho presentes ao Circuito #CulturaGeraFuturo destacaram a importância do evento para tomarem conhecimento dos mecanismos e editais disponibilizados pelo MinC. Professor de Literatura da Universidade Federal de Rondônia, Vitor Cei nunca buscou captar recursos por meio dos mecanismos federais de fomento por pura falta de conhecimento. "Vim ao evento exatamente para saber como funciona a Rouanet e outras linhas do Ministério da Cultura. Já passou da hora de eu participar", destacou. "Tenho projetos de literatura brasileira contemporânea, entre eles saraus de poesia, que sempre fiz sem nenhum apoio. Com a Rouanet, acredito que será possível dar um maior alcance a meus projetos", acrescentou.
 
A servidora pública Sabrynne Sena, que é regente de corais em Porto Velho, entre eles os da ONG da Caixa e da Usina de Jirau, foi ao evento para conhecer programas de fomento do Ministério da Cultura e repassar as informações aos colegas, incentivando-os a buscar apoio para suas atividades culturais. "Muita gente diz que Porto Velho não tem cultura, o que não é verdade", afirmou.
 
O produtor cultural Altair Santos, gestor na Fundação de Cultura de Porto Velho, destacou a importância dos patrocinadores para a produção cultural. "É complicado fazer cultura fora do eixo Rio-São Paulo, então todo apoio é bem-vindo, sobretudo de possíveis patrocinadores locais", observou, Santos, que declarou ter ido ao evento também para se atualizar sobre os editais de cultura que estão abertos. 
 
Outro produtor cultural, o carioca Carlinhos Maracanã, morador de Porto Velho há 37 anos, avalia que a conscientização do empresariado local é urgente para que o incentivo à cultura cresça. "Não falta gente com capacidade de investir no estado, mas é preciso conscientizar, estimular. Também é necessário que o governo estadual e a prefeitura fechem com mais antecedência o calendário de eventos, para que os patrocinadores possam ter segurança de investir", afirmou. "Um dos meus focos de trabalho é o Carnaval. Como podemos pedir recursos sem nem ter garantia de que a festa será realizada, por exemplo?", questionou.
 
Seminário
 
O Circuito #CulturaGeraFuturo será realizado até julho. Equipes do Ministério da Cultura (MinC) estão visitando as 27 capitais brasileiras para levar orientações sobre a Lei Rouanet, a Lei do Audiovisual, o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e outras oportunidades. Haverá também um módulo voltado para patrocinadores, sobre as formas e vantagens de apoiar projetos culturais. Os encontros têm formato de seminário, com duração prevista de um dia em cada capital.  
 
Rondônia é o 12º estado a receber o Circuito #CulturaGeraFuturo, que já passou por Macapá (AP), Fortaleza (CE), Brasília (DF), João Pessoa (PB), Rio Branco (AC), Belo Horizonte (MG), Maceió (AL), Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Natal (RN) e Campo Grande (MS). Depois de Porto Velho, as atividades seguem para Porto Alegre (RS), na próxima segunda-feira (21).
 
Desconcentração regional
 
Para garantir oportunidades iguais a todas as regiões brasileiras, além de oferecer capacitação para produtores culturais, o Ministério da Cultura também estabeleceu cotas que beneficiam a região Norte. A instrução normativa da Lei Rouanet, atualizada em 2017, por exemplo, aumentou em 50% o valor máximo de captação de recursos para projetos de estados do Norte, que tem histórico de baixa participação. Os editais do programa #AudiovisualGeraFuturo também contam com cota regional de pelo menos 30% para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, além de 20% para Sul e estados de Minas Gerais e Espírito Santo. 
 
Rondônia foi o 20º estado do País em volume de recursos captados para projetos culturais por meio da Lei Rouanet em 2017 (R$ 1,264 milhão para três projetos). De 2016 para 2017, houve um crescimento de 9,72% no volume de recursos captados, de R$ 1,152 milhão para R$ 1,264 milhão.
 
No ranking regional, Rondônia ficou em terceiro lugar entre os estados do Norte no volume de recursos captados.  
 
O Ministério da Cultura está investindo mais de R$ 8 milhões na construção de quatro Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs) em Rondônia. Um já foi inaugurado, em Porto Velho, e outros três estão em obras, em Cacoal, Rolim de Moura e Ariquemes.  
 
Além dos CEUs, o MinC também está investindo R$ 3,47 milhões em obras e reformas de espaços culturais em sete municípios: Alta Floresta do Oeste, Cacaulândia, Cacoal, Cerejeiras, São Francisco do Guaporé, São Miguel do Guaporé e Vilhena. Entre as obras, estão a construção e a compra de equipamentos para o Teatro Municipal de Cerejeiras, de um centro cultural em São Francisco de Guaporé e do Centro Cultural de Alta Floresta, que já foi inaugurado.   
 
No campo da produção audiovisual, a Ancine investiu R$ 1,35 milhão no estado por meio do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).
 
Assessoria de Imprensa
Ministério da Cultura