« Voltar

Festival Tropixel

O Ministério da Cultura participou do Festival Tropixel – Arte, Ciência, Tecnologia e Sociedade que aconteceu de 21a 25 em Ubatuba (SP). O Festival reuniu dezenas de pesquisadores, artistas, ativistas e cientistas de Ubatuba, do Brasil e de outros países para discutirem ações a serem desenvolvidas na fronteira entre cultura e tecnologia, articuladas a referências científicas e práticas experimentais contemporâneas.

O secretário de Políticas Culturais compôs a mesa de debates que teve como tema: "Políticas Culturais e Transformação Social", e que contou com as presenças do organizador do evento  - Felipe Fonseca e do Prefeito de Ubatuba, Maurício Moromizato. O tema debatido tratou sobre os resíduos tecnológicos digitais na Europa e no Brasil e a destinação final dos produtos poluentes que pode ser aproveitados em reciclagem.

O evento teve uma programação que incluiu mesa de debates, oficinas e projetos com o objetivo de transformar a cidade em um laboratório experimental temporário. "A intenção do Festival Tropixel, parceiro brasileiro da rede de eventos internacionais como o Pixelache, é articular criticamente particularidades brasileiras na fronteira entre cultura e tecnologia", afirma Felipe Fonseca, da Comissão Organizadora do evento. "Estamos trabalhando, por um lado, com referências científicas e teóricas e, por outro, com práticas experimentais contemporâneas - em busca de futuros justos, sustentáveis e includentes", explica Fonseca.

O Festival tem três módulos, sendo o primeiro o Seminário Sincronizando que, realizado de 21 a 23, teve dentre os painéis de discussão "A cidade como Laboratório Experimental" e "Lixo Eletrônico e Cultura do Conserto".

"Estamos prioritariamente interessados em discussões sobre desenvolvimento econômico a partir da ciência e dos setores criativos, no fomento à inovação, em soluções tecnológicas que contribuam com a gestão de recursos naturais e ofereçam alternativas para a questão dos resíduos sólidos", explica Felipe Fonseca.

Uma outra atração do Festival é o Lab Experimental Temporário (22 a 24/10) que tem como foco a prática e o fazer e busca transformar a cidade inteira em um laboratório de tecnologia, cultura e participação social. O Lab, organizado em formato de desconferência está utilizando espaços como escolas públicas da cidade; os Quilombos do Cambury e da Fazenda; ruas e praças, e diferentes organizações e instituições. O Lab também tem  oficinas livres realizadas em diferentes localidades da cidade e em parceria com o Ônibus Hacker – grupo sediado em São Paulo que oferece oficinas dinâmicas de comunicação, tecnologia,  arte e política. O Ônibus também abre espaço para a apresentação de projetos locais.

O Festival Tropixel será encerrado na sexta-feira (25) com o projeto Ocupa - Ocupação Cultural do Perequê-Açu, e terá atividades culturais realizadas em palco aberto, feira de artes e cultura, exposições, sala de projeção e telecentro. O Festival Tropixel tem ainda outras atividades como a reunião do Colegiado de Arte Digital do Conselho Nacional de Política Cultural.

O Festival é articulado pelo Núcleo Ubalab e pela Universidade Federal de Juiz de Fora. O Tropixel conta com o apoio do Ministério da Cultura, por meio da Secretaria de Políticas Culturais, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), da Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de Minas Gerais (Fapemig) e da Pró-reitoria de Cultura da UFJF.

Fundart

No dia 22 de outubro, pela manhã, Américo Córdula esteve reunido com Isabella Vassão, presidenta da Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba (FUNDART). No encontro ele elogiou a importância do fomento realizado pela Fundação à diversidade cultural nos grandes eventos da cidade. Córdula destacou ainda os projetos desenvolvidos pelo MinC envolvendo as culturas tradicionais como a dos indígenas, dos quilombolas e de um projeto para a manutenção da cultura Caiçara do nordeste.No projeto, em andamento, uma escola está sendo utilizada para construção naval de barcos Caiçaras do Maranhão, uma ação que está gerando renda e fixação da cultura Caiçara e da pesca artesanal.   

O secretário também saudou a Fundart pelos avanços em busca da solidificação das políticas culturais no município, e da formatação adiantada na consolidação do Conselho Municipal de Cultura (CMC).  A visita do secretário em Ubatuba ajudou ainda a sanar algumas questões referentes à parte final de inclusão, nos próximos meses, de Ubatuba no Sistema Nacional de Cultura. Córdula  apontou ainda caminhos que o município deverá seguir para que o Governo Federal beneficie com recursos os eventos artístico-culturais da cidade.

(Texto: Heli Espíndola, com informações da Ascom/Fundart/Ubatuba)
(Fotos: Isabelle Albuquerque/SPC)