« Voltar

Funarte produz festa inédita pelos 57 anos de Brasília

 
 
20.04.2017 - 19:40  
"É só o começo de uma nova Funarte, mais viva", anuncia o coordenador de Difusão Cultural da Fundação Nacional de Artes (Funarte) em Brasília, João Carlos Corrêa (Foto: Janine Moraes/Ascom MinC)
 
 
De portas abertas, com cara nova e em clima de festa. É assim que a Fundação Nacional de Artes (Funarte), instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), vai comemorar os 57 anos de Brasília. Ao longo desta sexta-feira (21), a fundação promoverá, no Complexo Cultural da Funarte, em Brasília, uma série de apresentações, gratuitas e abertas ao público, com teatro, palhaços, dança e jongo.
 
"É só o começo de uma nova Funarte, mais viva", anuncia o coordenador de Difusão Cultural da Fundação Nacional de Artes (Funarte) em Brasília, João Carlos Corrêa, em entrevista ao portal do MinC. Ele fala sobre os preparativos para a festa, linhas diretrizes de sua gestão e outros planos para a Fundação.
 
Confira neste link a programação completa para esta sexta (21) e abaixo a entrevista com João Carlos Corrêa:
 

Brasília completará 57 anos nesta sexta-feira (21) e a Funarte fará uma programação especial. Quais são os destaques?

 
É uma festa inédita e estamos todos muito felizes de fazer parte dela. Normalmente, a Funarte acompanha produções e não produz (os eventos) e nossa ideia é que passemos a produzir e muito. É só o começo de uma nova Funarte, mais viva.
 
Pensamos em uma programação aberta e gratuita, que ocorrerá das 9h às 21h desta sexta, para que favoreça a visibilidade do artista e que chame a comunidade, para que vejam que esse espaço é deles. Vamos promover um palco aberto para artistas e uma tenda para outras apresentações de mágicos, palhaços e jongo, um tipo de dança. Teremos circo, música, dança, rap... passando da cultura negra ao pop.
 
O grupo musical Corazón Salsero trará, por exemplo, composições autorais, falando do amor por Brasília; teremos batalhas de rap para trazer jovens para cá e para falar sobre arte, sobre a cidade e sobre ausência de equipamentos culturais. E para ouvirmos críticas também. Teremos 20 palhaços pela manhã, que vão invadir a Torre de TV e divertir a criançada. 
 
Prédio do Complexo Cultural Funarte Brasília (Foto: Janine Moraes/Ascom MinC)
 

Como o senhor vê a relação da cultura com a capital federal?


A capital favorece esse acolhimento à arte, temos uma geografia, uma estrutura urbana que favorece. Não temos uma relação boa em termos de investimento para a cultura da cidade porque não adianta o artista receber recursos se não tem onde aplicar. A arte hoje está perdendo os espaços sacralizados em Brasília. E a Funarte se propõe a resgatar isso. Queremos trazer os jovens para esses espaços para que sejam inspirados a ocupá-los. 

Qual é o papel da Funarte em Brasília?


A Funarte foi criada em 1975 e chegou a Brasília em 1977. Este ano, completamos 40 anos na capital federal.  São 40 anos de história. O papel da Funarte é de fomento à cultura, de formação de artistas. É um papel muito nobre, mas com potencial ainda pouco explorado na cidade. Os artistas ainda não conhecem tudo aquilo que podemos oferecer por meio da Funarte. Podemos viabilizar editais para capacitação dos técnicos, para ocupações de espaço, para afirmação de artistas e agora estamos num trabalho de ressignificação desse espaço, para que possa ser popularizado e democratizado, sem perder a excelência. 

A ideia de fazer uma festa de aniversário de Brasília na Funarte vai ao encontro da vontade desse reencontro com a comunidade artística local. Hoje estamos aqui de portas abertas. 


O senhor assumiu há menos de um mês a coordenação da Funarte em Brasília. Quais são seus principais objetivos nessa gestão?
 

A missão é justamente aproximar, favorecer o diálogo da Funarte com a comunidade e com o próprio Ministério da Cultura, para que ela sirva de ponte para que os recursos cheguem aos artistas de forma coordenada, para que atenda suas expectativas e para levar ao MinC a voz dos artistas. Vamos promover diversos seminários aqui para saber onde o artista sente a falta do MinC. 

O primeiro passo é este: dizer que estamos aqui, de portas abertas.  A comunidade chegando, começamos esse diálogo. O trabalho hoje é de ressignificação do nosso papel, de apoio à formação do artista e de fomento à arte. 
 

O que é o programa Funarte Viva?

 
Nesta grande festa, em 21 de abril, iniciamos nossa nova cara da Funarte, trabalhamos com a Funarte Viva.  O programa que lançamos é singelo, mas com significado muito forte. Busca tornar a Funarte um agente ativo da cultura brasiliense e um efetivo articulador de oportunidades, tanto para os artistas quanto para a população.

Meu maior trabalho é fazer a roda continuar a girar e com que a sociedade perceba a importância do corpo técnico da Funarte, de seus artistas, terceirizados e servidores. As capacidades são muitas, falta mostrar esse trabalho à sociedade e ao governo. 
 
Leia mais:
Assessoria de Comunicação Social
Ministério da Cultura