Inscrições para o Comunica Diversidade estão abertas

Janaína Costa, do "Inquietos", acredita que o edital amplia a acesso dos jovens à cultura. (Foto de Thaís Mallon)
Felipe Milhouse, professor no projeto Fábrica Verde, diz que o edital dá voz para a juventude. (Foto de Thaís Mallon)

08.08.2014

 
Começam hoje (8 de agosto) as inscrições para o Comunica Diversidade 2014: Edição Juventude, que premiará 60 jovens que desenvolvam iniciativas de comunicação voltadas à cultura. O projeto é uma parceria entre o Ministério da Cultura, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Fundação Universitária José Bonifácio.
 
A atriz carioca Janaina Costa, integrante do coletivo Inquietos, foi a mestra de cerimônias do lançamento do Comunica Diversidade, realizado nesta quinta-feira (7/8) na Escola Nacional de Circo, no Rio de Janeiro (veja matéria neste link). Ela acredita que o prêmio dará mais possibilidades de atuação aos jovens de sua geração. "O edital amplia o nosso acesso à cultura, nos dá uma base para continuarmos caminhando. Nosso trabalho já acontece, mas esta ferramenta nos coloca mais próximos da conversa com o governo. E aumenta a nossa chance de sermos senhores da nossa trajetória. Que venham muitos outros", destaca. 
 
Aos 28 anos, Felipe Milhouse também participou do lançamento do Comunica Diversidade 2014. Cineasta e educador, atua na área cultural há quase uma década e é professor de audiovisual do projeto Fábrica Verde, no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. Para ele, a característica mais importante do projeto é dar voz à juventude: "Não adianta eu querer imaginar o que é melhor para você se eu não o conheço. O que foi bom para a minha geração pode não atender aos anseios de hoje. É por isso que eu acho tão importante o MinC (Ministério da Cultura) ter ouvido os jovens durante o Curto-Circuito antes de criar o edital", observa.
 
Acostumado a lidar com jovens na faixa dos 16 anos, Felipe batalha para que as manifestações culturais das comunidades cariocas sejam reconhecidas além de seus limites geográficos. E acredita que precisa estar atento e se adaptar continuamente à linguagem dos mais jovens: "A minha geração é completamente diferente da galera de 16, 17 anos. Esses meninos já nascem com um tablet na mão, têm uma relação com a tecnologia que vem de berço. Mas a gente se adapta. Você pode ser jovem aos 70 anos, por que não?", questiona. 

Sobre o prêmio

O Comunica Diversidade Edição Juventude tem o objetivo de reconhecer, fomentar e incentivar ações de comunicação para a cultura, protagonizadas por jovens, que deem visibilidade a expressões da cultura brasileira e de fomentar iniciativas que, por meio de processos de comunicação popular, ampliem o exercício dos direitos à liberdade de expressão cultural e à comunicação.
 
Podem participar do prêmio jovens entre 15 e 29 anos, brasileiros natos ou naturalizados e estrangeiros residente no Brasil há mais de três anos, que desenvolvam iniciativas de comunicação para cultura. Serão 10 prêmios a jovens entre 15 e 17 anos; 25, entre 18 e 24 anos; e 25, entre 25 e 29 anos. Todos os prêmios terão valor bruto de R$ 14 mil.
 
As inscrições poderão ser feitas gratuitamente até 7 de novembro de 2014, por meio da internet (sistema SALICWEB disponível no site do Ministério da Cultura: http://sistemas.cultura.gov.br/propostaweb/) ou pelos Correios. No caso de inscrição  realizada por meio de gravação de áudio e vídeo, a inscrição pode ser feita por e-mail (comunicadiversidade@gmail.com).
 
Os projetos que concorrerão ao prêmio deverão contemplar ações voltadas a pelo menos um dos seguintes eixos: educar para comunicar; produção de conteúdos culturais; distribuição de conteúdos culturais; meios/infraestrutura para a comunicação; comunicação e protagonismo social; e comunicação e renda. Todos os projetos devem ser inéditos e cada candidato poderá apresentar somente uma iniciativa cultural para a seleção.
 
São consideradas ações de comunicação para a cultura atividades que articulem cultura e comunicação e/ou outras áreas do conhecimento, realizadas sem financiamento direto e subordinação editorial a empresas de comunicação, e que agreguem e priorizem ações colaborativas e participativas, interatividade e atuação em rede na produção e difusão de conteúdos, preferencialmente em formato livre, por meio de diferentes suportes de mídia (áudio, imagem, texto, vídeo e multimídia).
 
Alessandro Mendes
Jefferson Lessa
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura