Lei Cultura Viva marcou 2015 na diversidade cultural

15.1.2016 - 9:35  
Cerimônia de lançamento da Lei Cultura Viva, em abril (Foto: Christian Braga)
 
 
Em 2015, a Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC) do Ministério da Cultura (MinC) retomou e expandiu políticas e projetos culturais. Uma das principais conquistas foi a regulamentação da Lei Cultura Viva, que transformou em política de Estado um dos programas de maior capilaridade do MinC, responsável pelos Pontos de Cultura.
 
Para divulgar a nova legislação e ouvir demandas das mais diversas parcelas da sociedade, a SCDC realizou, em 2015, o Circuito Cultura Viva. Foram realizados encontros e reuniões com artistas, gestores e grupos culturais de 18 estados e de nove países. Além disso, foram conveniadas 15 novas redes estaduais e municipais de Pontos de Cultura. 
 
E os editais! A SCDC lançou cinco em 2015: Pontos de Cultura Indígena, Pontos de Mídia Livre, organizações e coletivos que trabalham com cultura de rede e municípios que já aderiram ao Sistema Nacional de Cultura (SNC) foram o público-alvo.
 
Enfim, 2015 foi excelente para a SCDC. Foram executados 105% dos recursos de administração direta da secretaria, povos indígenas e povos de terreiro foram conectados, movimentos sociais e urbanos ficaram mais próximos, e dezenas de encontros de articulação e mobilização foram realizados. Além disso, a secretaria assumiu a presidência pro tempore do Ibercultura Viva, programa que trabalha para levar o experiência brasileira do Cultura a outros países do continente.
 
E o ano fechou – com o perdão do trocadilho – com chave de ouro, com a realização do Emergências, evento de cultura, ativismo e política que reuniu, no Rio de Janeiro, durante sete dias, cerca de 10 mil pessoas e agentes culturais de 22 países.
 
Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural
Ministério da Cultura