Animação brasileira é indicada ao Oscar 2016

14.01.2016 - 15:09  
O menino e o mundo representará o Brasil na disputa pelo Oscar de melhor longa-metragem de animação (Foto: Divulgação)
 
 
O menino e o mundo, do paulistano Alê Abreu, foi indicado ao Oscar de 2016 de melhor longa-metragem de animação. O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira (14) pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. O filme brasileiro concorre com os norte-americanos Anomalisa e Divertida Mente; com o britânico Shaun: o carneiro; e com o japonês Quando estou com Marnie. A premiação será realizada em 28 de fevereiro, em Los Angeles.
 
A animação de Alê Abreu foi exibida em mais de 90 países e conquistou mais de 40 prêmios em festivais internacionais. Em 2014, saiu consagrado do Festival Internacional de Cinema e de Animação de Annecy, com o Prêmio Cristal de Melhor Longa e o Prêmio do Público. O festival é considerado o mais importante dedicado à animação. 
 
O filme, que usa diversas técnicas de animação, retrata as questões do mundo moderno, como a globalização, a crise econômica e a perda de valores, pelo olhar de uma criança, que deixa sua aldeia. Sofrendo com a falta do pai, o menino descobre um mundo fantástico dominado por máquinas-bichos e estranhos seres. A produção contou com investimentos de R$ 400 mil do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), por meio da Chamada Pública Prodecine 01/2009. 
 
O longa Que horas ela volta?, dirigido por Anna Muylaert e protagonizado por Regina Casé, tinha sido escolhido para representar o Brasil na busca por uma indicação ao Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira. O título, que trata da relação entre os patrões e a empregada doméstica da casa, teve grande sucesso no mundo e no Brasil, mas acabou ficando de fora na disputa pela estatueta. Ele concorre agora ao prêmio Critic´s Choice Award, organizado pelos críticos cinematográficos dos Estados Unidos e do Canadá. O evento ocorrerá em 17 de janeiro. 
 
Últimas indicações
 
Desde 1962, 45 filmes brasileiros foram inscritos para o Oscar e apenas quatro conseguiram ser indicados na categoria melhor filme estrangeiro: O Pagador de Promessas, O Quatrilho, O Que é Isso, companheiro? e Central do Brasil. Nenhum deles ganhou o prêmio. O filme Orfeu Negro, produção conjunta de Brasil, Itália e França, dirigida pelo francês Marcel Camus, levou o Oscar, mas concorreu pela França. O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias, de Cao Hamburger, foi pré-indicado pela Academia, que o considerou um dos nove melhores entre os 63 filmes inscritos em 2008, mas não conseguiu ficar entre os cinco finalistas.
 
Assista ao trailer do filme:
 
 
Cecilia Coelho
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Com informações da Ancine