Notícias em destaque

Edital do programa Cidades Sensitivas está aberto a consulta

22.01.2016 – 16:48
 
O programa Cidades Sensitivas, realizado pelo Ministério da Cultura (MinC) em parceria com a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), está recebendo, até o próximo domingo (24), sugestões da sociedade para a elaboração do edital que irá selecionar 40 ocupações culturais urbanas. 
 
Os interessados podem deixar suas contribuições no site Cultura Digital. Na plataforma, estão disponíveis cinco tópicos para consulta: Objeto; Avaliação e Seleção; Da Comissão de Avaliação e Seleção; Obrigações dos Proponentes Selecionados; e Da Contratação. Sobre estes itens, os participantes poderão inserir críticas, observações e sugestões de alteração.
 
Em uma segunda etapa, a plataforma do Cidades Sensitivas também funcionará como meio de cadastro e cartografia de iniciativas e propostas de ações laboratoriais e práticas de ocupações criativas, para documentação das pesquisas, assim como para publicações de artigos. As pesquisas, ações e documentos gerados ao longo de um ano farão parte de uma publicação, a ser lançada em versão impressa e digital.
 
O lançamento do edital, voltado para pessoas físicas que desenvolvam ou apoiem iniciativas de ocupações culturais em territórios urbanos, está previsto para o primeiro semestre de 2016, com um investimento total de R$ 800 mil. As propostas deverão prever atividades em cidades brasileiras a serem realizadas durante cinco meses.
 
Cidades Sensitivas
 
O programa Cidades Sensitivas está desenvolvendo uma série de ações direcionadas a fornecer subsídios teóricos e práticos para a discussão do espaço público como lugar de expressão, o reconhecimento de dinâmicas sociais – especialmente as historicamente excluídas - e das cidades enquanto espaço potente para experimentação de políticas públicas. O programa surge como desdobramento do programa piloto Laboratórios de Cidades Sensitivas (LabCEUs), buscando ampliar a pesquisa sobre o envolvimento das pessoas com os espaços urbanos a partir do uso de tecnologias abertas.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura