Rede de Salas do Mercosul tem primeira programação definida

22.01.2016 -17:28  
 
 
 
Foi divulgada pela Reunião Especializada de Autoridades Cinematográficas e Audiovisuais do Mercosul (Recam) a primeira seleção oficial da Rede de Salas Digitais do bloco, dentro do programa Integrando Olhares. As exibições dos filmes selecionados em chamada pública – 14 longas, dos quais seis são brasileiros, e 10 curtas-metragens, sendo quatro brasileiros – começam no mês de março, nas 30 salas digitais da Rede.
 

Os escolhidos foram: 

Longas: 
À queima roupa, de Theresa Jessouroun/Brasil; 
A Vida Privada dos hipopótamos, de Maíra Bühler y Matias Mariani/Brasil;
Años de calle, de Alejandra Grinschpun/Argentina;
Damiana Kryygi, de Alejandro Fernández/Argentina; 
Democracia em preto e branco, de Pedro Asbeg/Brasil; 
El Colchón, de María Eugenia Verón/Argentina; 
Ela volta na quinta, de André Novais Oliveira/Brasil; 
Infancia clandestina, de Benjamin Ávila/Argentina; 
Narcisa, de Daniela Muttis/Argentina; 
O estopim, de Rodrigo Mac Niven/Brasil; 
Refugiados en su tierra, de Fernando Molina y Nicolás Bietti/Argentina; 
Ríos libres, de Gustavo Adolfo Carbonell - Elián Guerín/Argentina; 
Uma História de Amor e Fúria, de Luiz Bolognesi/Brasil; e 
Yo sé lo que envenena, de Federico Sosa/Argentina.
 

Curtas:

A dama do Estácio, de Eduardo Ades/Brasil; 
Doce mil noches de jazz, de Cristina Marrón Mantiñán y Salvador Savarese/ Argentina; 
Foto documento, de Antonella Defranza/Argentina; 
Invisible, de Juan Manuel Echalecu/Argentina; 
La Duna, de Damián Sansone/Uruguay; 
Lila, de Sebastian Dietsch/Argentina; 
O Sepulcro do Gato Preto, de Federico Moreira/Brasil; 
Pasionarias, de Andrés Beltrán Nossa/Argentina; 
Tigre, de João Borges/Brasil; e 
Uma Família Ilustre, de Beth Formaggini/Brasil.

As obras, produzidas ou coproduzidas nos países membros do Mercosul, por meio de cessão gratuita, foram legendadas em espanhol ou português, de acordo com a necessidade. Foram aceitos filmes concluídos e ainda não estreados e também aqueles já exibidos comercialmente em salas de cinema, na televisão, internet ou em DVD.
 
Salas Digitais
 
As 10 salas brasileiras estão instaladas nas universidades federais da Bahia (UFBA), da Paraíba (UFPB), de Goiás (UFG), do Espírito Santo (UFES), do Rio Grande do Sul (UFRGS), de São Paulo (USP), de Ouro Preto (UFOP), de Pelotas (UFPel), de São Carlos (UFSCar) e na Fundação Joaquim Nabuco (FUNDAJ), em Pernambuco.
 
A Rede de Salas Digitais do Mercosul (RSD), criada no Programa Mercosul Audiovisual, viabilizado por meio de termo de cooperação com a União Europeia, é um circuito de difusão cultural integrado por 30 salas de cinema localizadas na Argentina (10), Brasil (10), Paraguai (5) e Uruguai (5). A proposta é fomentar a circulação de conteúdos próprios da região, valorizando o sentimento de pertencimento da comunidade mercosulenha.
 
A RSD já está em funcionamento em diversas cidades dos países do bloco, com servidores e projetores digitais, interconectados por meio de um sistema de transmissão digital. 
 
Secretaria da Audiovisual
Ministério da Cultura