Notícias em destaque

Filmes de baixo orçamento são premiados em festivais

28.1.2016 - 14:03  
Boi Neon (no alto) e Mãe Só Há Uma (acima) são alguns dos filmes selecionados no edital Longa BO (Fotos: Divulgação)
 
 
Diversos filmes produzidos a partir do Edital de Longa-Metragem de Baixo Orçamento de 2011, lançado pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC), estão participando do circuito de festivais nacionais e internacionais e entram em cartaz este ano. Boi Neon, de Gabriel Mascaro, está nas salas de cinema nas principais cidades do país, depois de ganhar prêmios no Festival do Rio de 2015 e no 15° Festival de Marrakech. Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert, participa, em fevereiro, da Mostra Panorama do Festival de Berlim. E Big Jato, de Claudio Assis, ganhou o Troféu Candango no 48º Festival de Brasília. 
 
Boi Neon, longa-metragem do pernambucano Gabriel Mascaro que estreou nos cinemas no dia 14 de janeiro, venceu o Festival do Rio 2015 nas categorias: Melhor Longa de Ficção, Melhor Roteiro, Melhor Atriz Coadjuvante (Alyne Santana) e Melhor Direção de Fotografia, pelo júri oficial. Foi selecionado para festivais nacionais e internacionais, incluindo os de Veneza e Toronto, nos quais alguns dos favoritos à edição do Oscar 2016 foram lançados, e teve 15 premiações, entre setembro e dezembro de 2015. No 15° Festival de Marrakech, realizado no final de 2015, Gabriel Mascaro recebeu o prêmio de Melhor Direção das mãos do presidente do júri, o cineasta norte-americano Francis Ford Coppola.
 
Em entrevista à Secretaria do Audiovisual, no dia 19 de janeiro, antes de embarcar para a Noruega, onde Boi Neon participou do Festival Internacional de Cinema de Tromso, Mascaro ressaltou que o apoio e o respaldo do MinC foram definitivos para garantir as parcerias internacionais (Holanda e Uruguai) que possibilitaram sua realização. "O aporte do MinC foi definitivo nessa parceria, que eu considero uma troca criativa muito rica. Com o lançamento, vivemos um momento especial, por ver o filme entrando em contato com o público, e o MinC é parte disso", destacou o cineasta.
 
Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert, com estreia comercial prevista para 2016, foi selecionado para a Mostra Panorama do Festival de Berlim, que será realizado na capital alemã entre 11 e 21 de fevereiro. No novo longa da diretora de Que Horas Ela Volta? – que desta vez conta a história de um menino que descobre ter sido roubado por uma família na maternidade – estão nomes como Matheus Nachtergaele, Naomi Nero e Dani Nefussi. O filme foi rodado em 2014, enquanto Que horas ela volta? era finalizado. O orçamento de Mãe Só Há Uma foi de R$ 1,8 milhão, bem menor do que o do filme anterior, que custou R$ 4 milhões.
 
Outro selecionado no mesmo edital foi Big Jato, de Cláudio de Assis, com previsão de estreia para março deste ano. O longa ganhou o Troféu Candango, no 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, em 2015, nas categorias de melhor filme, melhor ator (Matheus Nachtergaele), melhor atriz (Marcélia Cartaxo), melhor roteiro e melhor trilha sonora.
 
Clarisse ou alguma coisa sobre nós dois, de Petrus Cariry, foi lançado no circuito de festivais do ano passado, fazendo sua estreia no Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro 2015. A previsão de lançamento comercial é para o segundo semestre de 2016, com meta de público em torno de 10 a 30 mil espectadores.
 
"O edital de Baixo Orçamento do MinC foi fundamental para o projeto e vem sendo de grande importância para a realização de filmes independentes e de estéticas mais autorais por todo o Brasil", destacou o diretor Petrus Cariry.
 
Sobre a construção e a concretização de Clarisse ou alguma coisa sobre nós dois, a produtora executiva Bárbara Cariry conta: "O modelo de produção desse filme foi muito preciso. Como filme de baixo orçamento, os recursos foram bem otimizados, com todos os cuidados de qualidade técnica (som e fotografia), direção de arte, maquiagem e efeitos. Na pós-produção, houve todo um esmero na montagem, na marcação de cor, na elaboração da trilha sonora e na mixagem. Acredito que conseguimos avanços técnicos e estéticos significativos".
 
O paraense Amores Líquidos, da diretora Jorane Castro, também tem estreia prevista para 2016. Rodado entre maio e junho de 2015, em Belém e no roteiro turístico do Pará, o filme traz a história entrelaçada de três mulheres que seguem em uma mesma direção.
 
Entrando Numa Roubada, de André Moraes, que participou do edital com o título A Estrada, foi lançado nos cinemas brasileiros no início de setembro de 2015. O Amuleto, do diretor Jeferson Rodrigues de Rezende – que concorreu como Celulares – foi exibido no 1° Festival Curta Campos do Jordão, realizado entre 11 e 13 de dezembro de 2015. A Espera de Liz, de Bruno Torres Moraes, do Distrito Federal, deverá ser lançado em agosto de 2016.
 
Os demais filmes selecionados no Longa BO 2011 foram: Em 97 Era Assim, de José Teixeira de Brito; Eu te levo, de Marcelo Müller (selecionado para o Encontros com o Cinema Brasileiro com o Festival de Veneza, sem data de lançamento); e Voltando para casa, de Gustavo Rosa (Lançamento: 2016).
 
Baixo Orçamento
 
Nos últimos 11 anos, a Secretaria do Audiovisual lançou dez editais para filmes de Baixo Orçamento – três ainda com inscrições abertas – e teve 69 filmes contemplados. Desses, 38 já apresentaram o material final. As produções já finalizadas participaram de diversos festivais ao redor do mundo, incluindo cerca de 80 eventos nacionais e 64 internacionais, competindo, ganhando prêmios, visibilidade e reconhecimento da crítica especializada.
 
O estímulo a produções de longa-metragem de baixo-orçamento – conhecido com Longa BO –é uma ação estratégica e fundamental da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC) para a formação de novos cineastas, buscando a inovação da linguagem e da estética audiovisual. Apesar de ter valores considerados abaixo do mercado, filmes de baixo orçamento, muitas vezes, conseguem alcançar uma boa repercussão nacional – sendo aclamados por público e crítica. 
 
Eliana Gonçalves
Secretaria do Audiovisual
Ministério da Cultura