Notícias em destaque

MinC e GDF lançam edital para audiovisual

29.02.2016 – 18:21  
"Criatividade não precisa de concentração", diz Juca Ferreira em lançamento de edital (Fotos: Janine Moraes)
 
 
O Ministério da Cultura (MinC) e o Governo do Distrito Federal (GDF) lançaram, nesta segunda-feira (29), o edital do Fundo de Apoio à Cultura da Linguagem Audiovisual, no Palácio do Buriti, sede do governo local de Brasília. Com investimento de R$ 22 715 000, a iniciativa contemplará 72 projetos em diferentes linhas de apoio, que vão da produção cinematográfica à pesquisa cultural. Desse montante, cerca de R$ 10 milhões advêm da Agência Nacional do Cinema (Ancine), entidade vinculada ao MinC, por meio do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). 
 
Durante o evento, o Ministro da Cultura, Juca Ferreira, lembrou que a política do audiovisual é uma das mais bem-sucedidas do Ministério da Cultura, agradeceu a parceria com o governo do Distrito Federal e falou sobre a importância de não restringir recursos do audiovisual em apenas algumas regiões do País. 
 
"No início (2003), muitos diziam que era preciso concentrar editais no Rio de Janeiro e em São Paulo porque o audiovisual era uma atividade industrial, mas a criatividade não precisa de concentração, ao contrário, é necessário contar com a milionária contribuição de todos os produtores do audiovisual no Brasil", disse.
 
Na cerimônia, o ministro também reforçou o apoio ao setor e defendeu a Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional (Condecine), encargo que subsidia o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). "A Condecine é fundamental, é um mecanismo de financiamento", avaliou.  
 
O presidente da Ancine, Manoel Rangel também foi enfático ao ressaltar a importância da Condecine, fundamental para criação de editais como o lançado nesta segunda-feira, dia 29.  Reforçou que a Ancine trabalha em parceria com diversos estados, além do Distrito Federal. "Nosso foco é fazer com que o cinema de Brasília possa acontecer e ser visto no País", disse. "É preciso ter a coragem de apostar no audiovisual como elemento de desenvolvimento, que gera riquezas, faz a nossa cultura circular e garante que a nossa imagem seja construída por nós mesmos", completou.
 
O governador do DF, Rodrigo Rollemberg, afirmou que não é "possível falar em cinema brasileiro sem reconhecer a produção cinematográfica de Brasília". Rollemberg também mostrou que o governo se junta ao MinC em defesa da Condecine.  O secretário de cultura do DF, Guilherme Reis, salientou que este é o maior edital de fomento da história do FAC, o Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal, principal instrumento de fomento às atividades artísticas e culturais da Secretaria de Cultura do DF.
 
Conquistas
 
O edital foi lançado após um amplo processo de discussão e participação social, que contou com um plataforma online de contribuições, além de uma série de reuniões com associações e entidades representativas do segmento.
 
Além do grande aporte de recursos, o edital traz categorias que nunca haviam sido contempladas pelo Fundo de Apoio à Cultura, como a criação e manutenção de cineclubes, restauração e preservação de acervo e linhas específicas para publicações, capacitações e pesquisas relacionadas ao audiovisual.
 
A iniciativa também trouxe avanços no que diz respeito a desburocratização do acesso ao edital por meio da alteração da legislação do Fundo de Apoio à Cultura (FAC). As mudanças colocaram fim à obrigatoriedade das contrapartidas e à exigência de três orçamentos para cada rubrica, pleitos históricos do movimento cultural brasiliense. 
 
Edital e Inscrições
 
Os interessados em concorrer ao edital do Fundo de Apoio à Cultura da Linguagem Audiovisual poderão se inscrever de 2 de março até 15 de abril, pelo site www.editais.cultura.df.gov.br. Para concorrer, é preciso ter cadastro de ente e agente cultural, morar em Brasília há pelo menos dois anos e comprovar atividade artística ou cultural por meio de portfólio.
 
Candidatos deverão entrar no site do FAC e preencher o formulário de inscrição da proposta, que precisa apresentar plano de trabalho, planilha orçamentária, plano de divulgação e cronograma de execução, entre outros documentos relacionados.
 
Os projetos podem ser inscritos para produção, complementação, comercialização ou distribuição de longas-metragens, curtas-metragens, obras seriadas e animações. O benefício também prevê o financiamento de mostras e festivais, publicações especializadas, pesquisas culturais, preservação de acervo e desenvolvimento do cineclubismo. O texto é o segundo da história do FAC exclusivo para produções do tipo. O primeiro foi em 2014.
 
Dúvidas e informações podem ser tiradas no site http://www.fac.df.gov.br ou por meio de atendimento presencial na própria Secretaria de Cultura, localizada no anexo do Teatro Nacional das 8h às 18h. Além disso, serão realizadas oficinas e palestras para divulgar e facilitar participação deste edital.
 
O edital está previsto para ser publicado na terça-feira, dia 1º, no Diário Oficial da União. 
 
Cecilia Coelho
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura