Secretária leva experiência do Cultura Viva a Barcelona

29.02.2016 – 18:56  
Ivana Bentes vai a Barcelona apresentar experiência do Cultura Viva (Foto: Janine Moraes)
 
 
A Secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (MinC), Ivana Bentes, participa, nos dias 1º e 2 de março, do Cultura Viva, evento organizado pela prefeitura de Barcelona, na Espanha. Homônimo à política criada pelo MinC, o encontro reunirá personalidades influentes da cultura em todo o mundo para, a partir de experiências concretas, elaborar o planejamento cultural da cidade entre 2016 e 2019. A secretária foi convidada pela prefeita da cidade, Ada Colau, que chegou ao poder no ano passado prometendo democratizar instituições e aproximar governo dos cidadãos. 
 
"Nós fomos convidados a levar as experiências do Brasil na área da cultura que, de certo modo, têm muito a ver com projeto de municipalidade deles, com a adoção de uma gestão compartilhada e com a discussão de uma cidade a partir das pontas", destacou Ivana. 
 
A cidade de Barcelona tem se tornado referência nos processos de mudança democrática local, transformando as instituições públicas em espaços mais abertos e acessíveis por meio da implementação de mecanismos de promoção da transparência e com o desenho de processos mais participativos.
 
"O evento tem o mesmo nome da nossa política, compreendendo a cultura urbana como cultura viva. Já temos algumas políticas que têm inspirado países da América Latina, mas servir como inspiração para uma cidade como Barcelona, que está no centro da efervescência da democracia participativa e em meio às discussões mais avançadas de políticas culturais, é muito bacana", disse a secretária.
 
Inspirações
 
A Política Nacional de Cultura Viva inspirou a adoção de políticas culturais semelhantes por diversos países da América Latina. A partir dessas colaborações, foi criado o fundo IberCultura Viva, um programa de cooperação técnica e financeira voltado para o fortalecimento das culturas de base comunitária dos países ibero-americanos.
 
Um de seus principais objetivos é promover a criação de redes, alianças e intercâmbios para a ação conjunta entre os diversos atores sociais e governamentais, propiciando o desenvolvimento de uma cultura cooperativa, solidária e transformadora.
 
Atualmente, integram o IberCultura Viva não apenas o Brasil, mas também Argentina, Chile, Costa Rica, El Salvador, Espanha, México, Paraguai, Peru e Uruguai.
 
O conceito e a experiência prática dos Pontos de Cultura também deverão servir também como referência para a construção de um projeto de formação cidadã liderado pelo Papa Francisco, que pretende alcançar 200 milhões de jovens em 20 anos.
 
No início de fevereiro, o historiador Célio Turino, um dos criadores dos Pontos de Cultura, esteve no Vaticano para firmar um convênio com a Fundação Pontifícia de Scholas Occurrentes, instituída pelo pontífice da Igreja Católica. 
 
As Scholas Occurrentes são uma organização internacional criada em 2013 para fomentar a cultura do encontro pela paz por meio da arte, esporte e tecnologia. Estão presentes em 82 países, entre eles o Brasil, tendo sedes no Vaticano, Argentina, Espanha, Paraguai e Moçambique.
 
Cristiane Nascimento
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura