Notícias em destaque

A concepção das políticas culturais a partir da colaboração

"Cultura Viva e o Cultura de Redes tem um enorme potencial multiplicador porque são laboratórios de inovação cidadã", diz Ivana em Barcelona (Foto: Arquivo Pessoal)
 
03.03.2016 - 19:20
 
Como fazer uma gestão cultural atenta às novas práticas dos territórios e linguagens, atenta às tecnologias sociais? Essa foi uma das provocações que a prefeita de Barcelona, Ada Colau, quis levantar ao realizar o evento Cultura Viva 2016. Segundo o site do projeto, é "uma reunião de raízes locais e perspectiva internacional que explora, a partir de experiências concretas na relação entre os cidadãos , as instituições e espaços comuns da cultura a partir dos valores democráticos da transparência, da crítica, da proximidade e da participação."
 
Realizado dias 1 e 2 de março, na Fàbrica Fabra i Coats em Barcelona, o evento contou com a participação de cerca de 30 convidados e teve como objetivo construir o plano de cultura da cidade a partir do desenho de processos participativos e uma profunda democratização da sua gestão. A concepção das políticas culturais e a forma como, neste contexto, os processos de colaboração entre grupos, associações, agentes, empresas e instituições culturais são concebidos foi o cerne das discussões.
 
A secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural do MinC, Ivana Bentes, representou o Ministério e mostrou que o Brasil, mesmo com todas as dificuldades e no meio a uma crise, ainda é um dos laboratórios de inovação cidadã em diferentes campos. "As práticas culturais, programas e ações como o Cultura Viva e o Cultura de Redes tem um enorme potencial multiplicador porque são laboratórios de inovação cidadã, de baixo pra cima, com práticas culturais territoriais, com gestão descentralizada e federativa, com pontos, redes, coletivos, gestores que tem apontados as saídas e o pós-crise", concluiu Ivana.
 
Além da experiência do Ministério da Cultura, foram mostradas ações de toda a Espanha e outros países europeus divididos em quatro grupos temáticos: os Laboratórios da Cidadania, as Economias da Cultura, a Gestão Comunitária da Cultura e as Instituições da Memória.
 
A agenda faz parte do programa de circulação da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural que tem como objetivo apresentar as políticas desenvolvidas no MinC e absorver novas práticas a partir de outras experiências e da participação social. Em 2015, o Circuito Cultura Viva esteve em 19 estados brasileiros e 9 países.
 
Raíssa Galvão
Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural
Ministério da Cultura