Nomeada comissão que indicará filme para concorrer ao Oscar

03.08.2016 – 19:29
 
A edição de hoje, dia 03, do Diário Oficial da União traz publicada a nomeação dos membros da Comissão Especial responsável pela seleção do longa-metragem a ser indicado como candidato brasileiro ao Oscar 2017 na categoria Melhor Filme em Língua Estrangeira. O anúncio do resultado da seleção ocorrerá no dia 12 de setembro.
 
Segundo o secretário do Audiovisual do MinC, Alfredo Bertini, a composição da Comissão buscou contemplar as diversas etapas da cadeia produtiva do audiovisual e ter diversidade regional, com nomes com currículo robusto de diversas partes do Brasil. 
 
Compõem a Comissão Especial Adriana Rattes, Luiz Alberto Rodrigues (Beto Rodrigues), George Torquato Firmeza, Guilherme Fiuza Zenha, Ingra de Souza Liberato, Marcos Petrucelli, Paulo de Tarso Basto Menelau, Silvia Maria Sachs Rabello e Sylvia Regina Bahiense Naves
 
Adriana Rattes foi secretária de estado de cultura do Rio de Janeiro. Aproximou-se do movimento cineclubista bem jovem, iniciando, assim, uma dedicação de vida inteira ao audiovisual e à cultura: em Portugal, foi roteirista na rede SIC e assistente de direção na RTP; esteve à frente do projeto da Estação Botafogo, no Rio de Janeiro; foi uma das criadoras do Festival do Rio, o maior e mais importante evento de cinema da América Latina, cuja mostra Premiere Brasil dirigiu por anos; restaurou e reabriu o Odeon, uma das mais tradicionais salas de exibição do país. 
 
Beto Rodrigues (Luiz Alberto Rodrigues) é graduado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e pós-graduado em Produção Audiovisual pela Universidade Complutense de Madri. É sócio-diretor da Panda Filmes, produtora e distribuidora cinematográfica brasileira. Atua como roteirista, produtor e diretor. Atuou na realização de 16 longas-metragens e cinco séries para TV.
 
George Firmeza é diplomata e mestre em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (UnB). No Ministério das Relações Exteriores exerceu as funções de Chefe da Coordenação de Divulgação e de Chefe de Gabinete do Subsecretário Geral de Cooperação, Cultura e Promoção Comercial. Desde janeiro de 2011 é Diretor do Departamento Cultural do Itamaraty. 
 
Guilherme Fiuza Zenha atua no setor audiovisual há mais de vinte anos. Como produtor e assistente de direção, trabalhou ao lado dos diretores Helvécio Ratton, Tizuka Yamasaki, Sylvio Back, Sergio Machado e Nelson Pereira dos Santos. Em 2014, foi o diretor e roteirista responsável por levar O Menino no Espelho, de Fernando Sabino, para telas de cinema e televisão ao redor do mundo. O filme se tornou sucesso de crítica no Brasil e exterior, sendo comercializado para 16 países da Europa.
 
A atriz Ingra Liberato traz, em sua biografia, seis prêmios de Melhor atriz, conquistados em diversos festivais  (Cuiabá; Santa Maria da Feira, em Portugal; Natal; Gramado; Arraial d'Ajuda). Além do cinema, tem atuação marcante na TV, tendo participado de dezenas de telenovelas, e no teatro.
 
Marcos Petrucelli é jornalista, com mais de 20 anos de experiência. Desde o início da carreira vem se especializando na pesquisa e crítica de cinema.  Há 11 anos é comentarista de cinema da rádio CBN, do Sistema Globo de Rádio. Colabora como crítico de cinema no Jornal das 10, da GloboNews, e Programa Metrópolis, da TV Cultura. Em 1997, criou o primeiro site de cinema no Brasil, chamado e-Pipoca. Ao longo da carreira, tem participado de inúmeros eventos e festivais de cinema no Brasil e no mundo.
 
O exibidor Paulo Menelau co-fundou, em 1983, a Rede Videosom, com 10 locadoras de filmes no formato VHS, instaladas na Região Metropolitana do Recife, onde desenvolveu um trabalho de marketing agressivo, consolidando a marca entre as 10 maiores redes do Brasil. De 1986 a 1994, foi vice-presidente da APVL - Associação Pernambucana de Vídeo Locadoras, tendo assumido o cargo de Diretor da Febravídeo (Federação Brasileira de Vídeo e Cinema) de 1990 a 1994. Em 2004 implantou duas salas de exibição, instaladas no Moviemax Cine Eldorado na cidade de Garanhuns-PE, e em seguida, o Moviemax Cine Royal na cidade de São Lourenço da Mata, região metropolitana do Recife. Em Agosto de 2012, deu início as operações de um novo complexo no Recife, o Moviemax Rosa e Silva com quatro salas, referência em qualidade de exibição e programação no Brasil.
 
Sílvia Rabello é presidente da Abeica (Associação Brasileira de Empresas de Infra-estrutura de Indústria Cinematográfica e Audiovisual), membro do comitê gestor do Fundo Setorial do Audiovisual. Foi vice-presidente do CBC (Congresso Brasileiro de Cinema); membro do conselho deliberativo e diretora da Academia Brasileira de Cinema. 
 
Sylvia Bahiense Naves, bacharel em Cinema pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (1972), é assessora técnica em Acessibilidade do Audiovisual  da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, tendo atuado como Ponto Focal do Brasil na Recam (Reunião Especializada das Autoridades Cinematográficas e Audiovisuais do Mercosul) entre 2013 e 2016. Desde 1973 trabalhou na Cinemateca Brasileira, tendo assumido a Direção Executiva da mesma. Em 2003, foi membro da Diretoria da FIAF – International Film Archive Fedération, tendo participado de congressos da instituição em Berlim, Londres, Seul, Liubliana, Rabat, Los Angeles, Hanói, Buenos Aires, São Paulo, Seul, Estocolmo, Helsinki e Madri. 
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura