Agenda paralela do Micsul reunirá ministros da Cultura

 
 
16.3.2017 - 16:36  
Durante a reunião, os integrantes do Comitê Executivo acompanharam a apresentação do plano de comunicação para o Micsul 2018
 
 
No segundo e último dia de reuniões do Comitê Executivo do Mercado de Indústrias Culturais do Sul (Micsul), nesta quinta-feira (16), na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, a equipe do Ministério da Cultura (MinC) e os representantes dos governos de vários países da América do Sul trataram de uma agenda paralela para a terceira edição do evento, programada para abril do próximo ano na capital paulista. 
 
Em seu pronunciamento ao final dos trabalhos nesta quinta, o secretário-executivo do MinC, João Batista de Andrade, cumprimentou todos os participantes e destacou o bom nível das discussões. "Em nome do ministro Roberto Freire, expresso a nossa satisfação pelo fato de o Brasil sediar a próxima edição deste importante evento que é o Micsul", afirmou. "Agradeço a cada um de vocês por representarem os respectivos países que participam do Micsul. Encontros como o que tivemos nesses dois últimos dias servem para aproximar ainda mais as nações latino-americanas e, de forma especial, fortalecer seus laços culturais".
 
Na avaliação de João Batista de Andrade, "a cultura é um dos setores com maior repercussão na oferta de trabalho e tem uma importância cada vez maior no aspecto econômico". "Desejamos, no Micsul 2018, fazer um trabalho tão bom quanto fizeram os nossos amigos e irmãos argentinos e colombianos nas duas primeiras edições." 
  
Propostas
 
Entre os principais itens da proposta de agenda paralela está um encontro multilateral envolvendo os ministros da Cultura de todos os países participantes do Micsul. A ideia é que os ministros sejam os responsáveis por chefiar as respectivas delegações no evento. 
 
Além dos encontros multilaterais, os organizadores pretendem convidar alguns dos mais renomados conferencistas e palestrantes das diversas áreas contempladas no Micsul. Segundo o diretor do Departamento de Promoção Internacional do MinC, Adam Muniz, esta será uma oportunidade para que esses profissionais "compartilhem informações relevantes para o mercado nos diferentes setores". 
 
Na proposta de agenda paralela às atividades principais do Micsul 2018, também há apresentações artísticas – os chamados "showcases" – e os desfiles de moda. Um dos objetivos é a utilização de outros equipamentos culturais da cidade de São Paulo para além daqueles que já serão aproveitados no Parque Ibirapuera, onde será realizado o evento.   
 
Chile 2020
 
Responsável por conduzir os trabalhos nos dois dias de reunião, o secretário de Articulação e Desenvolvimento Institucional do MinC, Adão Cândido, afirmou que, já para o próximo encontro do Comitê Executivo do Micsul, marcado para 24 e 25 de agosto, o Brasil apresentará uma proposta mais minuciosa para o evento, com sugestão de cronograma e detalhamento para cada uma das atividades e atrações. 
 
Durante a reunião, os integrantes do Comitê Executivo também acompanharam a apresentação do plano de comunicação para o Micsul 2018. O Chile foi escolhido, por unanimidade, como o país-sede da quarta edição do evento, em 2020. Chilenos e venezuelanos haviam apresentado suas candidaturas, mas a delegação da Venezuela não compareceu ao encontro realizado na Cinemateca. 
 
O secretário-executivo do MinC, João Batista de Andrade, também cumprimentou os chilenos por terem sido escolhidos para receber a quarta edição do Micsul. "Em nome do Ministério da Cultura e de todos nós, brasileiros, saudamos o Chile pela indicação", afirmou. 
 
Primeiro dia
 
A abertura do encontro do comitê do Micsul ocorreu na última quarta-feira (16). Representando o ministro da Cultura, Roberto Freire, participaram do encontro o secretário executivo do MinC, João Batista de Andrade, o secretário de Articulação e Desenvolvimento Institucional, Adão Cândido, a secretária do Audiovisual, Mariana Ribas, o secretário de Economia da Cultura, Mansur Bassit, o diretor do Departamento de Promoção Internacional do ministério, Adam Muniz, e diretora de estratégia produtiva da Secretaria da Economia da Cultura, Ana Letícia Fialho. Também estiveram presentes o secretário da Cultura do Estado de São Paulo, José Roberto Sadek, e a coordenadora-geral da Cinemateca Brasileira, Olga Futemma. 
 
Os participantes fizeram uma visita técnica ao Pavilhão Cicillo Matarazzo e ao Auditório Oscar Niemeyer, localizados no Parque Ibirapuera, onde será realizado o Micsul 2018. Durante as sessões de trabalho, foi feito um balanço da última edição do evento, em 2016, na Colômbia. 
 
A segunda parte da reunião teve como foco o projeto do Micsul 2018, com a apresentação da proposta conceitual e o perfil dos setores envolvidos. A expectativa é de que 4 mil a 10 mil pessoas participem do evento em cada um dos quatro dias de duração. 
 
Micsul
 
O Micsul tem por objetivo criar e consolidar uma plataforma para o conhecimento, a difusão, a promoção, a circulação e a comercialização de bens e serviços gerados pelas indústrias culturais e criativas da região. A primeira edição foi realizada em 2014, em Mar del Plata (Argentina). Em 2016, o evento ocorreu em Bogotá (Colômbia).
 
Texto e foto: Fábio Matos
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura