Escritora Hilda Hilst será homenageada pela Flip em 2018

 
 
7.2.2018 - 16:31  
Da esquerda para a direita, ministro Sérgio Sá Leitão, Ana Petta e Daniel Fuentes (Foto: Acácio Pinheiro/Ascom MinC)
 
 
Uma das mais respeitadas escritoras da língua portuguesa, Hilda Hilst morreu há 14 anos, mas sua obra está mais viva do que nunca, atraindo a juventude e se espalhando por outros segmentos criativos, como o cinema, a música e a moda. O legado da escritora é administrado pelo Instituto Hilda Hilst, que faz parcerias para ampliar seu poder de realização e presta consultoria em produtos culturais.
 
Hilda Hilst será a homenageada da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) deste ano, e a proposta do Instituto é criar uma casa inspirada na obra da escritora – um espaço para as diversas manifestações culturais e debates. A proposta foi apresentada, nesta quarta-feira, ao ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, pelo presidente do instituto, Daniel Fuentes, e pela atriz e produtora Ana Petta.
 
A ideia é que a casa em homenagem à escritora seja financiada via Lei Rouanet, e o projeto deverá ser apresentado ao Ministério da Cultura nos próximos dias para haver tempo hábil de captação dos recursos. "Será a primeira vez que teremos uma casa do escritor homenageado na Flip", disse Fuentes.
 
O Instituto Hilda Hilst faz uma gestão ativa e moderna do legado da escritora, buscando novas oportunidades para difusão da obra da autora. "Estamos sempre tentando novas parcerias. A Hilda hoje está vivendo um momento editorial muito importante: conseguimos reposicioná-la editorialmente de uma forma muito forte", destacou Fuentes. 
 
A estratégia, segundo o presidente do instituto, é desenvolver um trabalho nas diversas áreas culturais, incluindo música, teatro, moda e cinema. "A ideia é gerir os direitos autorais da Hilda tentando ampliar cada vez mais o público. A Hilda tem crescido muito entre o público jovem. Identificamos muitas pessoas com menos de 20 anos que se apaixonam pela obra dela", completou.
 
Dentro da estratégia de gestão dos direitos autorais, serão lançadas em breve histórias em quadrinhos da obra de Hilda Hilst, pela Companhia das Letras. O Instituto também fechou parceria para lançamento de roupas inspiradas na obra da escritora. Em abril, deve entrar no circuito comercial o filme Unicórnio, de Eduardo Nunes, baseado na obra da escritora, com financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual e já lançado no Festival de Berlim. E está em fase final de produção o documentário Hilda Hilst Pede Contato, de Gabriela Greeb.
 
O Instituto funciona na Casa do Sol, em Campinas, onde a escritora morou por anos, e preserva o seu acervo pessoal, com apoio do clube de assinaturas Obscena Lucidez. Também mantém programas de residência cultural e educativo.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura