Centro Cultural Cazuza é inaugurado em Vassouras (RJ)

 
 
10.5.2018 - 10:11  
Edifício foitotalmente restaurado, em uma parceria entre o Ministério da Cultura (MinC), por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Sociedade Viva Cazuza e a Prefeitura Municipal de Vassouras (Foto: Luciana Pappacena/Iphan)
 
 
"Um museu de grandes novidades". É assim, como nos versos de O Tempo Não Para, de Cazuza, que se abrirão as portas do novo espaço cultural de Vassouras, no Rio de Janeiro. A antiga Casa de Cultura da cidade recebe, a partir de agora, o nome do cantor, compositor e poeta brasileiro, e passa a sediar o Centro Cultural Cazuza, após o edifício ser totalmente restaurado, em uma parceria entre o Ministério da Cultura (MinC), por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Sociedade Viva Cazuza e a Prefeitura Municipal de Vassouras.
 
Toda a obra durou menos de um ano, envolvendo a restauração da casa principal, a construção de um anexo com elevador e a instalação de novos banheiros e do paisagismo da área externa. As ações executadas garantiram a acessibilidade do edifício e também a implantação de novos usos para os ambientes internos, que agora terão espaço de exposição, salas multimídia, biblioteca e uma ala permanente em homenagem a Cazuza, onde o público poderá conhecer objetos, indumentária, documentos e prêmios do artista. O Iphan foi responsável por custear o projeto para o restauro arquitetônico, contratado pela Prefeitura Municipal e executado com investimentos da Sociedade Viva Cazuza.
 
A celebração da inauguração do espaço será nos dias 11 e 12 de maio (sexta-feira e sábado), marcando o ano em que Cazuza faria 60 anos e também os 60 anos do tombamento do Conjunto Paisagístico e Urbanístico de Vassouras. Para a solenidade de entrega, estarão presentes a presidente do Iphan, Kátia Bogéa; o diretor do Departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida; a superintendente do Iphan no Rio de Janeiro, Mônica da Costa; a presidente da Sociedade Viva Cazuza, Lucinha Araújo; o prefeito Severino Dias e outras autoridades locais. O primeiro dia contará com apresentação de Sandra de Sá e, no segundo dia, do Bloco Exagerado e do cantor Gilberto Gil.
 
Uma casa cheia de histórias
 
O edifício que agora abriga o Centro Cultural Cazuza é um antigo casarão de 1845, em estilo neoclássico. Localizada ao redor da Praça Barão de Campo Belo, a principal da cidade, a casa tem grande valor simbólico e integra o conjunto protegido pelo Iphan desde 1958. Já há vários anos funcionava como sede da Secretária de Cultura e Turismo de Vassouras, tendo sido interditada em 2013 por questões estruturais. 
 
A casa foi residência de importantes nomes da história de Vassouras, a cidade dos Barões de Café, tal qual o genro do Barão de Itambé, Francisco José Teixeira de Souza. Após seu falecimento, em 1871, o prédio foi transformado em sede de diversos clubes e colégios, até ser adquirido pela Prefeitura Municipal, que criou ali uma casa de cultura, até então denominada Centro Cultural Presidente Tancredo Neves, a fim de abrigar manifestações dos diversos segmentos culturais, como a Biblioteca Maurício de Lacerda e o Arquivo Público Municipal.
 
A família de Cazuza possui uma forte relação com o edifício, pois foi onde Lucinha Araújo, mãe do artista, nasceu. Foi também ali em frente, anos mais tarde, que ela conheceu seu marido, o empresário João Araújo. Para marcar esse vínculo familiar, foi instalado no novo centro cultural o busto de Maria Rangel de Araújo, educadora e fundadora do Colégio de Vassouras e avó de Cazuza.
 
Investimentos
 
Vassouras vem recebendo uma série de investimentos do Iphan nos últimos anos. Está em andamento a restauração da Sede da Associação de Paroquianos de Vassouras (Asepava), que recebe investimentos de cerca de R$ 740 mil. Além disso, outros R$ 2,8 milhões já foram destinados à elaboração de projetos, sendo que alguns deles serão, como foi o caso do Centro Cultural Cazuza, executados com recursos da iniciativa privada. 
 
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)
Ministério da Cultura