« Voltar

Ministério da Cultura divulga calendário de eventos para estimular economia do Rio de Janeiro

 


03.08.2017 - 21:25  

Grupo interministerial "Rio de Janeiro a Janeiro" foi criado pelo Governo Federal para auxiliar o estado do Rio a se recuperar de dificuldades econômicas (Foto: Janine Moraes/Ascom MinC)
 
Da esquerda para a direita, ministros dos Transportes, Maurício Quintela, da Cultura, Sérgio Sá Leitão, e do Desenvolvimento Social, Osmar Terra (Foto: Janine Moraes/Ascom MinC) 
 
Um cronograma de eventos que podem impulsionar a geração de renda e empregos no estado do Rio de Janeiro foi divulgado hoje (3) pelo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão. A apresentação foi feita no Palácio do Planalto, após reunião do grupo interministerial "Rio de Janeiro a Janeiro", criado pelo Governo Federal para auxiliar a cidade e o estado do Rio a se recuperar de dificuldades econômicas. 
 
O marco inicial ocorre a partir do Réveillon do próximo ano, e vai até dezembro de 2018, com um calendário de 120 a 150 eventos estratégicos que abarcam todo o espectro da diversidade cultural, assim como as áreas de turismo e esportes. São eventos considerados estratégicos e com alto potencial de geração de emprego e renda nas áreas de economia criativa, turismo e esporte.

Carnaval

O desfile de Carnaval, feiras de livro, festivais de cinema, shows musicais, encontros de área audiovisual e digital, dentre outros, compõem a agenda prevista. A previsão é que a programação seja divulgada em outubro deste ano para que, em novembro, seja realizado um encontro entre as empresas produtoras das atividades e potenciais patrocinadores.
 
A inciativa "Rio de Janeiro a Janeiro" terá 70% dos eventos voltados ao público em geral; 15% serão para o setor econômico do qual as atividades fazem parte; e os outros 15% circularão entre os dois ambientes. 
 
"A vocação da economia da Cultura no estado é evidente, corresponde por 4,1% do seu PIB. São eventos já realizados com alto índice na geração de empregos e renda, que vamos potencializar para que atinja novos públicos", acrescentou o ministro ao informar dados de que a média salarial da área cultural no estado é três vezes maior do que a das demais atividades econômicas. 

Investimento

O investimento para viabilizar o calendário é de R$ 200 milhões, sendo R$ 150 milhões de patrocínio aos eventos e outros R$ 50 milhões de promoção das ações, inclusive no exterior. Além dos investimentos estatais (das esferas Federal, Estadual e Municipal), ainda será possível contar com apoio por meio das leis de incentivo à Cultura, patrocínios de empresas privadas e estatais e do "Sistema S", explicou Sá Leitão.
 
"Se a crise econômica no Brasil se mostra grave, ela foi especialmente aguda no Rio. É fundamental que se possa recuperar sua a saúde fiscal e que a segurança pública seja trazida de volta aos níveis de normalidade para a retomada do crescimento do estado", defendeu Sá Leitão. 

Aumento do turismo
 
Após a reunião com o grupo interministerial, o ministro apresentou um estudo da FGV segundo o qual um aumento de 20% no turismo local é capaz de incrementar em R$ 6 bilhões o Produto Interno Bruto (PIB) do estado. "É um dinheiro novo que entrará em circulação, que trará impacto, também, na injeção de investimentos de empresas de outros estados e até estrangeiras", pontuou.
 
A parceria com a FGV vai continuar durante a realização das atividades em 2018, com a análise econômica e de retorno financeiro efetivo dos eventos propostos. Ainda este ano, será realizada uma fase de abertura para inscrição de projetos que não estejam contemplados no cronograma inicial.
 
 
Lara Aliano
Assessoria de Comunicação Social
Ministério da Cultura