« Voltar

Sá Leitão é homenageado no Festival de Cinema Cristão

 

 

05.12.2018 - 09:15   
"O festival tem uma função especial ao dar visibilidade para a produção audiovisual cristã", Sérgio Sá Leitão (Foto: Ronaldo Caldas / Ascom MinC)
 
 
Entre os 20 títulos de maior bilheteria no País, lançados de 2009 a 2017, Os Dez Mandamentos – O Filme ocupa a primeira posição. Dirigido por Alexandre Avancini, a película levou 11,3 milhões de brasileiros à 1.127 salas de todo o País, gerando uma renda de R$ 116,8 milhões. Os números de destaque colocam em evidência a força do audiovisual que aborda as narrativas do cristianismo. A temática ganhou destaque esse mês durante o VI Festival Internacional de Cinema Cristão (FICC), no Rio de Janeiro. O encerramento da mostra, ocorrido ontem, contou com a presença do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, homenageado na ocasião.
 
"O festival tem uma função especial ao dar visibilidade para a produção audiovisual cristã. Isso enriquece nossa produção como um todo, fortalecendo a multiplicidade de visões. Isso é muito positivo para a sociedade como um todo", destacou o ministro. Na cerimônia, Sá Leitão foi homenageado por sua contribuição à Cultura nacional, recebendo uma estatueta do FICC.
 
Além da homenagem ao ministro da Cultura, o festival distribuiu outras 23 estatuetas, incluindo as novas categorias de Melhor Game e Melhor Filme Esportivo. Além das tradicionais categorias para os longas-metragens, o evento ainda premia a Melhor Produção de Minuto, o Melhor Média Metragem, o Melhor Curta Metragem, o Melhor Documentário, a Melhor Série, a Melhor Animação, o Melhor Clipe Musical e o Melhor Filme Estrangeiro. Outro prêmio de destaque é oferecido ao Melhor Filme Teen. As obras concorreram ainda a um prêmio especial de Melhor Socioambiental. Ainda foram certificadas a Melhor Distribuidora de Filmes e a TV que mais exibe filmes cristãos.
 
O festival é realizado pela Agenda Cultural Brasil, sob a direção de Verônica Brendler. A diretora reforça que a curadoria das obras presentes no festival é criteriosa, já que elas devem refletir o tema do evento: "O cinema que fomenta valores". "Muitos profissionais do mundo produzem filmes fomentando valores contrários à Palavra de Deus e embrulham em papel de presente e o entregam ao público, influenciando milhares de pessoas. Elas não sabem o que tem dentro e compram pela embalagem. Nós temos a pedra angular – que é Jesus – e a embrulhamos em um jornal. Precisamos fazer sempre o melhor para Àquele que é digno de todo louvor", defende Verônica, no site de divulgação do festival.
 
O festival ainda inclui, além das premiações, projetos de formação. Entre eles, workshops de realização de projetos culturais e de captação de incentivos; e oficinas de roteiro básico e dublagem. O evento conta com apoio institucional do Centro Técnico Audiovisual da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e da Agência Nacional do Cinema (Ancine), também vinculada ao MinC. 

Sobre o festival

O FICC foi criado como um evento nacional: em 2013, a cidade do Rio de Janeiro sediava o I Festival Nacional de Cinema Cristão. Mas já na ocasião, o evento foi transmitido em tempo real para quatro continentes. O interesse de realizadores internacionais foi determinante para que o evento se tornasse global, o que também impactou o número de obras inscritas. Em 2017, foram 176 no total, incluindo produções dos Estados Unidos, da Itália e da África.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura