Notícias

« Voltar

Ao completar 36 anos, Escola Nacional de Circo já formou mais de 2 mil alunos

 

11.5.2018 - 20:40  
 


Ao completar 36 anos neste domingo (13), a Escola Nacional de Circo, inaugurada em 1982, se consolida como o principal centro de formação para artistas circenses do Brasil. Mantida pelo Ministério da Cultura, por meio da Fundação Nacional de Artes (Funarte), a instituição oferece capacitação profissional para artistas brasileiros e estrangeiros em cursos técnicos que têm duração de 2 anos, e já formou mais de 2 mil alunos.
 
Na avaliação de Carlos Vianna, coordenador-geral da Escola Nacional de Circo (ENC), ao longo dos anos a instituição foi aprimorando seus processos pedagógicos. O curso de formação, que inicialmente era de dez meses, foi transformado em um programa de ensino técnico com duração de dois anos. "Nossa escola está em um processo de desenvolvimento contínuo de novas ações. Os resultados com os alunos são muito expressivos, seja na apresentação durante os espetáculos ou  no destaque obtido por ex-alunos em outros projetos artísticos", afirmou. 
 
Em março deste ano, sete alunos da Escola foram aprovados para integrar o elenco do Cirque Du Soleil – mais importante companhia circense do mundo -, durante audição realizada dentro da ENC. A excelência na formação dos profissionais circenses foi determinante para que o diretor de Casting do Cirque Du Soleil, Julien Penel, promovesse um processo de seleção no Brasil após um hiato de dez anos. 
 
No mês passado, Olavo Rocha, professor e ex-aluno da escola, e Marcella Collares, ficaram em segundo lugar na 2ª edição do Festival Internacional de Circo, realizada em São Paulo.  Para Olavo, que ensaiou o número apresentado no festival nos horários livres da ENC, a sólida formação recebida na escola foi decisiva em todos os momentos profissionais vividos em outras companhias circenses. "A escola teve um papel fundamental no meu desenvolvimento profissional. Quando eu era aluno, fiz o curso de dez meses, que já contava com um modelo de dedicação exclusiva e era muito bom. Hoje, dou aulas no curso técnico, que além de ter uma duração maior, permite um aprimoramento técnico mais apurado", afirmou.
 
Funcionamento da escola
 
Localizada em terreno de sete mil metros quadrados, Praça da Bandeira, no Rio de Janeiro, a Escola Nacional de Circo abriga uma lona moderna de quatro mastros, com capacidade para 1.200 espectadores. Nesse espaço são ministradas aulas em 40 modalidades circenses, por professores de circo, teatro e preparadores técnicos.  "Ensinamos todas as linguagens do circo, que são trabalhadas de acordo com a individualidade de cada artista. O trabalho de preparação dos alunos é feito com muito cuidado por toda a equipe técnica da escola", esclareceu Vianna. 
 
Os alunos são estimulados a criar espetáculos e apresentações ao longo do curso de formação. A formatura da primeira turma do curso técnico foi marcada pela realização 1ª Bienal da Escola Nacional de Circo, que reuniu o trabalho de conclusão dos 54 alunos. Atualmente, a segunda turma do curso é composta por 57 estudantes, sendo 48 brasileiros, de 16 estados, e seis estrangeiros. "Mesmo depois que se formam, os alunos mantém vínculo com a ENC. Sempre acompanhamos o desenvolvimento deles em todos os momentos", afirmou.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura