Notícias

« Voltar

Chapada dos Veadeiros sedia encontro apoiado pelo MinC

 

 

14.07.2017 - 19:41  

 
 
Começa neste sábado (15/7) e vai até 30 de julho o 4º Encontro de Lideranças e Comunidades Quilombolas do Estado de Goiás, no município de Alto Paraíso de Goiás (GO), na Chapada dos Veadeiros. O Ministério da Cultura (MinC) está apoiando o evento com R$ 200 mil, por meio do Instituto Federal de Goiás, um dos organizadores do encontro de quilombolas. "O objetivo do encontro é reunir comunidades tradicionais num ambiente de diálogo, com a participação de representantes do poder público e de pesquisadores", diz o coordenador-geral de Cultura e Educação da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do MinC, Egerton Neto.
 
A previsão é que 210 moradores de remanescentes de quilombos se reúnam durante duas semanas para trocar experiências e promover a cultura popular. O evento será paralelo ao 17º Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, que ocorrerá no mesmo local e período, com a participação de povos indígenas, pesquisadores e representantes do governo federal. 
 
Haverá debates sobre a situação e os desafios das comunidades tradicionais, além de festividades, exposições, oficinas e feiras. Será discutida, entre outras questões, a ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. 

Kalunga
 
O encontro de quilombolas terá foco nas expressões culturais e nas demandas dos moradores do Sítio Histórico Kalunga, considerado o maior território quilombola do Brasil, segundo o coordenador do 17º Encontro de Culturas Tradicionais, Juliano George Basso. Neste sítio, que tem 200 mil hectares, estão localizados remanescentes de quilombos na região da chapada. 
Parte da programação ocorrerá na chamada aldeia multiétnica, incluindo uma festa tradicional dos povos do Alto Xingu (Dança do Peixe). Haverá feira de sementes, oficina de vídeo, exposição de imagens de aves e palestras sobre agrotóxicos e desafios dos povos indígenas.
 
Basso considera que os Encontros são enriquecedores tanto para os povos tradicionais quanto para os turistas que visitam a região. "É um momento de troca de saberes. Os visitantes têm acesso a manifestações tradicionais que não costumam ser muito divulgadas, pois ainda sofrem grande preconceito por parte das sociedades urbanas. A gente aprende muito", diz Basso.
O município de Alto Paraíso de Goiás fica a 230 quilômetros de Brasília (DF) e a 420 quilômetros de Goiânia (GO).

Leia também:

Fundação Palmares certifica 103 quilombos em 2017

 

 
Assessoria de Imprensa
Ministério da Cultura