Notícias

Cinemateca exibe longas de Humberto Mauro

11.11.2016 - 13:58  
Restaurado pela Cinemateca, Braza Dormida, de 1928, será exibido com acompanhamento da Orquestra Paulistana de Viola Caipira (Foto: Divulgação)
 
 
A Cinemateca Brasileira exibe, até 20 de novembro, o ciclo Humberto Mauro, com oito longas-metragens do diretor fluminense, um dos pioneiros do cinema brasileiro. Farão parte da mostra, entre outros, O descobrimento do Brasil, Lábios sem beijo e o clássico Braza Dormida, de 1928, restaurado pelo método Desmet Colour e que será exibido com acompanhamento musical da Orquestra Paulistana de Viola Caipira. Além dos longas, também serão incluídos curtas do cineasta produzidos para o Instituto Nacional de Cinema Educativo.
 
A mostra faz parte da programação comemorativa 100 Paulo Emílio, em homenagem aos 100 anos do nascimento do historiador e crítico de cinema Paulo Emílio Sales Gomes. Paulo Emílio é autor do livro Humberto Mauro, Cataguases, Cinearte (Editora Perspectiva, 1974), no qual esmiúça os anos de formação do cineasta fluminense.
 
A necessidade de Paulo Emilio em compreender Humberto Mauro e sua obra configura-se de maneira similar à do cineasta em procurar as maneiras possíveis para um cinema brasileiro, de linguagem e expressão próprias. Ver – e rever – o cinema de Mauro é essencial para compreender o cinema brasileiro.
 
Confira a sinopse dos filmes da mostra:
 
Argila (1942)
Sinopse: Admiradora de obras de arte e, em especial, da cerâmica de Marajó, jovem viúva compra uma cerâmica de objetos utilizados e a entrega a um talentoso artesão, para que desenvolva suas habilidades artísticas. Apaixonado pela patroa, o jovem desfaz seu namoro com uma moça da região. Alertada pelo pai da moça sobre o acontecido, a viúva, apesar de amá-lo secretamente, recusa o amor do ceramista.
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Preto e Branco
Duração: 90 minutos
Elenco: Carmem Santos, Celso Guimarães, Lídia Mattos, Floriano Faissal, Saint-Clair Lopes
Exibição: 13/11, às 16h45, na Sala Petrobras
 
Brasa adormecida (1986)
Sinopse: No início dos anos 1960, Bebel, filha de um almirante casado pela segunda vez com uma ex-vedete, está prestes a casar-se com Toni, seu primo rico. Ticão, primo e companheiro de infância dos noivos, que nunca saiu da fazenda, resolve boicotar o casamento. A confusão entre os três acaba por generalizar-se entre os tios, primos, empregados e parentes reunidos.
Direção: Djalma Limongi Batista
Cromia: Colorido
Duração: 105 minutos
Elenco: Maitê Proença, Edson Celulari, Paulo César Grande, Anselmo Duarte, Ilka Soares
Exibição: 20/11, às 18h30, na Sala Petrobras
 
Brasilianas
Sinopse: Série de curtas-metragens sobre canções populares dirigidas por Humberto Mauro entre 1945 e 1964, no Instituto Nacional de Cinema Educativo (INCE). Canções populares: Chuá chuá e casinha pequena (série Brasilianas n.1) (1945) Canções populares: Azulão e pinhal (série Brasilianas n.2) (1948) Aboio e cantigas (série Brasilianas n.3) (1954) Engenhos e usinas – Música folclórica (série Brasilianas n.4) (1955) Cantos de trabalho (série Brasilianas n.5) (1955) Manhã na roça: o carro de bois (série Brasilianas n.6) (1956) Meus oito anos – Canto Escolar (série Brasilianas n.7) (1956) A velha a fiar (1964)
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Colorido
Duração: 64 minutos
Exibição: 11/11, às 18h, e 19/11, às 19h30, na Sala Petrobras
 
Braza dormida (1928)
Sinopse: Após gastar todos os seus recursos no Rio de Janeiro, Luiz larga os estudos e emprega-se como gerente em uma usina no interior onde se apaixona pela filha do patrão, Anita. Enciumado, o ex-gerente envia cartas anônimas relatando o namoro ao dono da usina, que contrariado afasta a filha do negócio. Com saudades da namorada, Luiz vai a seu encontro. Para se vingar, o ex-gerente faz explodir uma bomba na usina.
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Preto e Branco
Duração: 80 minutos
Elenco: Nita Ney, Luiz Soroa, Máximo Serrano, Fantol, Rosendo Franco, Cortes Real
Exibição: 19/11, às 20h, Tela Externa
 
Curtas Humberto Mauro
Sinopse:
Compilado de curtas-metragens dirigidos por Humberto Mauro.
Um apólogo: Machado de Assis 1839-1939 (1939)
O despertar da redentora (1942)
Preparo e conservação dos alimentos (série Educação rural) (1955)
O café – história e penetração no Brasil (1958)
Carro de bois (1974)
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Preto e Branco
Duração: 87 minutos
Exibição: 20/11, às 16h30, na Sala Petrobras
 
Descobrimento do Brasil (1937)
Sinopse: Adaptação da carta de Pero Vaz de Caminha por Humberto Mauro. Narra a partida das 13 naus de Pedro Álvares Cabral de Lisboa e sua difícil trajetória pelo mar desconhecido, a chegada a uma nova terra, o encontro com o povo indígena, o fascínio pelos animais, as pessoas, as plantas.
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Preto e Branco
Duração: 60 minutos
Elenco: Álvaro Costa, Manoel Rocha, Alfredo Silva, De Los Ros, Reginaldo Calmon
Exibição: 12/11, às 21h45, na Sala Petrobras
 
Dragãozinho manso: Jonjoca (1942)
Sinopse: Após a grande luta, São Jorge, ao invés de matar o dragão, resolve levá-lo para casa e ensiná-lo a ficar bonzinho. Depois da conversão o dragãozinho tenta fazer amizade com outros animais e pessoas, mas seus esforços são sempre destruídos por sua aparência. Todos morrem de medo e fogem em disparada na presença de Jonjoca. Em mais uma tentativa frustrada de se incluir na sociedade, o dragãozinho é ferido e procura a ajuda de São Jorge. Em tratamento no castelo, Jonjoca conhece Maria Terezinha, sobrinha de São Jorge que se torna sua primeira amiga. Ainda machucado, o Dragão salva uma criança em perigo e se torna herói.
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Preto e Branco
Duração: 25 minutos
Elenco: Narração de Lucia Benedetti
Exibição: 20/11, às 18h, na Sala Petrobras
 
Ganga Bruta (1933)
Sinopse: Após matar a esposa na noite de núpcias por uma questão de honra, engenheiro abandona o Rio de Janeiro para esquecer sua tragédia e se desloca ao interior onde irá acompanhar a construção de uma grande fábrica. Nesse ambiente de trabalho intenso em um ambiente rural ele se deixa seduzir por uma adolescente.
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Preto e Branco
Duração: 82 minutos
Elenco: Durval Bellni, Déa Selva, Lu Marival, Décio Murillo, Andréa Duarte, Alfredo Nunes
Exibição: 12/11, às 19h30, na Sala Petrobras
 
Lábios sem beijos (1930)
Sinopse: Moça rica e moderna se apaixona por um homem com reputação de Don Juan. Coincidência de nomes a leva a crer que sua irmã caçula também está apaixonada pelo mesmo tipo e rompe com ele. Após conhecer o noivo da irmã, a moça procura o namorado para desfazer o mal-entendido.
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Preto e Branco
Duração: 53 minutos
Elenco: Lelita Rosana, Paulo Morano, Didi Vianna, Gina Cavalieri, Tamar Moema
Exibição: 12/11, às 18h, e 18/11, às 19h, na Sala Petrobras
 
Mauro, Humberto (1975)
Sinopse: Documentário sobre um dos pioneiros do cinema brasileiro: Humberto Mauro. O cotidiano do cineasta em sua casa (Volta Grande - MG) e em seu escritório no antigo Instituto Nacional de Cinema, hoje Embrafilme. Além de um depoimento do diretor, são também entrevistados os cineastas Alex Viany e Glauber Rocha, que falam da importância de Humberto Mauro no cinema Brasileiro.
Direção: David Neves
Cromia: Colorido
Duração: 21 minutos
Elenco: Humberto Mauro, Alex Viany, Glauber Rocha
Exibição: 20/11, às 20h30, na Sala Petrobras
 
Memória de Helena (1969)
Sinopse: Num apartamento carioca, Rosa e Renato recordam suas ligações com Helena, através de um diário deixado pela moça e alguns filmezinhos domésticos: o início da amizade com Rosa, o aparecimento de Renato e o namoro, o cotidiano em Diamantina, seus passeios com a empregada Inês, seus gatos, seus recantos privados. Primeiro longa de David Neves, com roteiro de Paulo Emílio Salles Gomes.
Direção: David Neves
Cromia: Colorido
Duração: 80 minutos
Elenco: Adriana Preito, Arduíno Colasanti, Rosa Maria Pena, Humberto Mauro
Exibição: 20/11, às 21h, na Sala Petrobras
 
O canto da saudade (1952)
Sinopse: Coronel Januário candidata-se a prefeito da cidade. Maria Fausta, afilhada do coronel, é cortejada por Galdino, acordeonista da região, mas namora João do Carmo às escondidas do pai. Durante a campanha eleitoral, a moça desaparece. Após intensas buscas, Galdino a localiza, junto com seu namorado, em um esconderijo arrumado pelos padrinhos. O casal retorna e o coronel promove o casamento. Durante a festa, percebe a ausência de Galdino, que havia partido. Segundo a lenda da região, em certos dias, quem passa perto do canavial pode ouvi-lo tocando, triste, a sanfona, saudoso do amor da cabocla.
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Preto e Branco
Duração: 83 minutos
Elenco: Cláudia Montenegro, Mário Mascarenhas, Humberto Mauro, Alfredo Souto de Almeida
Exibição: 13/11, às 20h30, e 18/11, às 20h, na Sala Petrobras
 
Sangue mineiro (1929)
Sinopse: Filha adotiva de milionário mineiro tenta o suicídio depois de ver o namorado beijando a irmã. É salva por dois irmãos que irão disputar o seu amor, quando ela se refugia na casa da família deles.
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Preto e Branco
Duração: 82 minutos
Elenco: Carmem Santos, Nita Ney, Luiz Soroa, Maury Bueno, Máximo Serrano
Exibição: 11/11, às 19h30, e 17/11, às 21h, na Sala Petrobras
 
Tesouro perdido (1927)
Sinopse: Os irmãos Bráulio e Pedro, após a morte do pai, são criados por um amigo, Hilário, pai de Susana. Quando Bráulio atinge a maioridade, Hilário lhe entrega o fragmento de um mapa de um tesouro. Esse fragmento é cobiçado por um bandido e um falso médico. Para conseguir o mapa, os bandidos assassinam um velho, dono do outro fragmento, e raptam Susana, exigindo a entrega do primeiro pedaço do mapa.
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Preto e Branco
Duração: 86 minutos
Elenco: Lola Lys, Bruno Mauro, Alzir Arruda, Paschoal Ciodaro, Humberto Mauro
Exibição: 13/11, às 18h30, e 17/11, às 19h, na Sala Petrobras
 
Victória Régia (1937)
Sinopse: Recanto amazônico, recomposto no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, que mostra o habitat natural da vitória-régia. Descrição, origem, história e o processo de fecundação da planta.
Direção: Humberto Mauro
Cromia: Preto e Branco
Duração: 9 minutos
Exibição: 12/11, às 21h30, na Sala Petrobras
 
Cinemateca Brasileira
Secretaria do Audiovisual
Ministério da Cultura