Notícias

« Voltar

Conheça os serviços prestados pela Casa de Rui Barbosa

 
 
25.7.2017 - 10:19  
Inaugurada em 1930 como o primeiro museu-casa do Brasil, a FCRB homenageia seu patrono tendo como principal atividade manter, preservar e difundir o acervo bibliográfico e documental e seu jardim histórico (Fotos: Ivo Gonzalez/FCRB)
 
 
A Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB), instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), oferece um espaço reservado ao trabalho intelectual, à consulta de livros e documentos e à preservação da memória nacional. Inaugurada em 1930 como o primeiro museu-casa do Brasil, a Fundação homenageia seu patrono tendo como principal atividade manter, preservar e difundir o acervo bibliográfico e documental e seu jardim histórico. O espaço está situado em uma das poucas áreas verdes do bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro, entre as ruas Bambina e Barão de Lucena, próxima à estação Botafogo do Metrô.
 
Os trabalhos de Rui Barbosa em diversas áreas de atuação – jurídica, política e jornalística – estão reunidos em uma coleção de obras completas, com 137 tomos. A biblioteca e arquivos estão disponíveis para pesquisa de segunda a sexta-feira. Para quem não mora no Rio de Janeiro, as obras completas de Rui Barbosa estão digitalizadas e podem ser consultadas on-line neste link.
 
Conheça outros serviços oferecidos pela FCRB:
 
Mestrado profissionalizante
 
Um dos principais objetivos da FCRB é desenvolver estudos e pesquisas em suas áreas de atuação (estudos ruianos, de política cultural, história, direito e filologia) e em cultura brasileira em geral. Para isso, desenvolve programas anuais de mestrado profissionalizante e concurso de bolsas de iniciação científica. Neste momento, estão abertas até 16 vagas para o curso de mestrado em memória e acervos. Os pesquisadores interessados podem apresentar seus projetos até o dia 11 de agosto.  
 
Palavra por Palavra 
 
Quinzenalmente, às quartas-feiras, o Centro de Memória e Informação da FCRB promove a série Palavra por Palavra, com palestras, apresentações e manifestações culturais seguidas de debates. O próximo encontro ocorre nesta quarta-feira (26), das 15h às 17h30, e terá como tema "As diversas artes de Burle Marx", com a exibição de documentário sobre o artista e suas obras, como o projeto de paisagismo do Aterro do Flamengo e a criação do Sítio Burle Marx. 
 
Memória & Informação 
 
O projeto Memória & Informação também ocorre a cada quinze dias. No dia 2 de agosto, o público poderá conferir palestra sobre o início da utilização do vitral no Brasil na segunda metade do século XIX, assim como a origem da indústria nacional e seus principais representantes. O tema será debatido pelo arquiteto Helder Magalhães Viana, na sala de cursos, às 14h30. Outras séries desenvolvidas pela FCRB fazem parte do calendário de serviços da instituição, sem, no entanto, definir uma periodicidade específica. São palestras, debates, mesas-redondas, com entrada gratuita ao público.  
 
O Museu e o Jardim
 
Destaque à parte, o jardim que cerca a Casa de Rui Barbosa tem mais de 9 mil m² e hoje é uma das poucas áreas verdes do bairro de Botafogo, o que lhe confere importância ecológica e social. Recém-reformado, o espaço verde é considerado um jardim histórico, conforme definição da Carta de Florença, documento de 1981 que estabelece os princípios para a preservação de jardins. O local é um conjunto arquitetônico protegido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1938 por seu valor histórico e artístico.
 
É um ponto de encontro, lazer, desfrute da natureza e reflexão, onde a presença humana favorece o equilíbrio no meio da agitação de um bairro que liga a Zona Sul ao centro da cidade. A vegetação ainda se assemelha à da época de Rui Barbosa, que gostava de cultivar novas espécies no jardim. 
 
Entre as árvores plantadas por ele destaca-se a lichia, que divide o espaço com outras frutíferas, como jambeiros, mangueiras, abieiros, um pé de fruta-pão e a velha pitangueira que se avista da janela da cozinha da casa. 
 
Conheça mais sobre sua história e sua composição em fotos. As visitas são gratuitas de segunda a sexta-feira, das 8 às 18h; e aos sábados e domingos, das 9 às 18h.
 
Além das séries de programações, o público também pode visitar a casa, hoje museu, em que o escritor Rui Barbosa viveu entre 1895 e 1923, ano de sua morte. No ano seguinte, o espaço foi adquirido pelo governo brasileiro com todo seu acervo. Desde 1930, tornou-se o Museu Casa de Rui Barbosa, que, além da biblioteca, conserva móveis e objetos da família. O museu pode ser visitado de terça a sexta-feira, das 10 às 17h30. Os visitantes têm à disposição estacionamento gratuito.
 
Rui Barbosa 
 
Rui Barbosa nasceu na Bahia, em 1849, e mudou-se para o Rio de Janeiro em 1879, quando foi eleito para a Assembleia Legislativa da Corte Imperial. Foi também orador, jurista, jornalista e abolicionista. Presidiu a Academia Brasileira de Letras após a morte de Machado de Assis, de 1908 a 1919. Conheça mais sobre esta grande personalidade brasileira.
 
Lara Aliano
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura