Notícias

« Voltar

Em coletiva de imprensa do MicBR, ministro destaca força da economia criativa brasileira

 
 
5.11.2018 - 17:00  
Ministro Sá Leitão destacou a força da economia criativa brasileira e a importância de promover um encontro como o Mercado de Indústrias Criativas do Brasil (MicBR). Foto: Ronaldo Caldas (Ascom/MinC)
 
 
Destacar a força da economia criativa brasileira, a importância de promover um encontro como o Mercado de Indústrias Criativas do Brasil (MicBR) e a intenção de que ele se torne um evento perene. Esses foram alguns dos temas abordados pelo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, durante coletiva de imprensa concedida nesta segunda-feira (5), no Itaú Cultural, em São Paulo (SP). Também participaram do encontro o secretário de cultura da Argentina, Pablo Avelluto, e o diretor da Organização dos Estados Ibero-Americanos no Brasil (OEI – Brasil), Raphael Callou.
 
Ao abrir a coletiva, Sérgio Sá Leitão explicou que o MicBR contempla três objetivos. O primeiro deles é dar relevo e mostrar o peso que a economia criativa brasileira já tem no País, além de salientar seu enorme potencial. "Com o MicBR criamos uma vitrine para a economia criativa brasileira e sul-americana", afirmou. 
 
O segundo objetivo é promover a troca de conhecimentos, vivências e a geração de negócios, ao permitir o encontro entre artistas, empreendedores, produtores e profissionais do setor. Um aspecto importante nesse âmbito é também a profissionalização, com uma programação que inclui workshops, palestras e mesas-redondas gratuitas e abertas ao público. 
 
Por fim, o MicBR busca impulsionar a internacionalização da economia criativa, ao estreitar elos e vínculos com outros países e outros mercados. "Fixamos parcerias com outros sete países que enviam delegações expressivas para o MicBR e, por meio da Apex, viabilizamos a vinda de 60 compradores de diversos continentes para conhecer o que fazemos aqui nessas 10 áreas que compõem o campo do MicBR", comentou.
 
A expectativa é que novas edições do evento ocorram nos próximos anos. "O MicBR é uma profissão de fé na força da economia criativa brasileira e um passo de uma cruzada para fazer com que o Brasil reconheça e enxergue o setor com a força que ele já tem", disse. "Estamos longe de esgotar tudo o que a economia criativa pode dar ao País", afirmou.

Força da economia criativa

Outro ponto destacado pelo ministro foi a importância das atividades criativas e culturais para a economia brasileira. "Uma política de desenvolvimento econômico e social, no século 21, precisa ter como um dos seus vetores a economia criativa", afirmou. "Se não, seria um grande desperdício e não estaríamos aproveitando essa forca motriz que as atividades criativas têm no nosso País", completou.
 
Sérgio Sá Leitão destacou ainda que as atividades criativas e culturais representam, no Brasil, 2,64% do PIB, geram mais de um milhão de empregos diretos e envolvem mais de 200 mil empresas e instituições. Como exemplo, citou a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip).

Participação  

Segundo Sá Leitão, as atividades criativas e culturais representam, no Brasil, 2,64% do PIB, geram mais de um milhão de empregos diretos e envolvem mais de 200 mil empresas e instituições. Foto: Ronaldo Caldas (Ascom/MinC)
 
Presente na coletiva de imprensa, o secretário de cultura da Argentina, Pablo Avelluto, destacou a importância do evento e a relação entre Brasil e Argentina nesse âmbito. "Talvez não todos sabem a importância da cultura brasileira para a Argentina em todos os campos e a necessidade com que olhamos para o Brasil em termos culturais de poder trabalhar ainda mais juntos, de poder fazer projetos teatrais, musicais e de poder fazer crescer os mercados de artistas de ambos países", contou. "É um sonho, não é uma utopia, é uma construção que começamos a fazer juntos há muitos anos", acrescentou.
 
Para Avelluto, o MicBR é uma oportunidade de desenvolver ainda mais o setor. "A economia criativa é uma área cuja matéria-prima está na cabeça das pessoas, no talento, na oportunidade. Precisamos promovê-la e mostra-la para criar vínculos econômicos. A cultura conecta com negócios", avaliou.
 
O diretor da OEI Brasil, entidade co-organizadora do evento, também falou sobre a importância desse setor para a região ibero-americana. "O MicBR contempla o potencial da indústria criativa, que agrega valor com empregos, oportunidades de trabalho, desenvolvimento para o país e toda a região. A OEI acredita na importância de pensarmos enquanto região e é uma região rica", destacou Callou.

MicBR

O Mercado das Indústrias Criativas do Brasil (MicBR), promovido pelo Ministério da Cultura (MinC) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), ocorre entre 5 e 11 de novembro, em São Paulo. O megaevento vai reunir milhares de empreendedores brasileiros e de sete países sul-americanos em atividades de capacitação, rodadas de negócios e apresentações artístico-comerciais, além de um público geral de aproximadamente 30 mil pessoas. Dez áreas da produção cultural estarão envolvidas: artes cênicas, audiovisual, animação e jogos eletrônicos, design, moda, editorial, música, museus e patrimônio, artes visuais e gastronomia.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura