Notícias

« Voltar

Em Londres, ministro Sá Leitão abre mostra de obras nacionais que contribuíram contra o nazismo

05.04.2018  12:18  
 
 
O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, abre nesta quinta-feira (5/4), em Londres, uma exposição que resgata um momento pouco conhecido do protagonismo brasileiro na Segunda Guerra Mundial. Em 1944, quando os países aliados lutavam contra o nazismo na Europa, obras de artistas do Brasil foram expostas e vendidas na Inglaterra, e o dinheiro foi revertido à Força Aérea Britânica (Royal Air Force). 
 
Mais de 20 dessas obras foram recuperadas e ficarão expostas na Embaixada do Brasil em Londres, entre elas, pinturas de nomes consagrados, como Cândido Portinari (1903-1962), Di Cavalcanti (1897-1976) e Lasar Segall (1891-1957). 
 
Fazer a exposição na Europa, durante a Segunda Guerra, foi ideia do então ministro das Relações Exteriores do Brasil, Osvaldo Aranha (1894-1960). Ao todo, 168 quadros de 70 artistas foram exibidos na Royal Academy of Arts, na maior mostra de arte brasileira fora do país, até aquele momento. 
 
Enquanto os militares da Força Expedicionária Brasileira (FEB) lutavam no front italiano, cerca de 100 mil pessoas visitaram a exposição, entre elas, a rainha Elizabeth, mulher do então rei George VI. Foram vendidas 80 obras, 47 delas na primeira noite. "É muito importante contar essa história, que relembra a força e a importância da arte modernista nesse período. Exposições como essa nos fazem pensar sobre o a capacidade transformadora da cultura, sobre o seu poder como instrumento de mobilização e de progresso das sociedades", diz o ministro.
 
A mostra foi levada também a outras sete cidades britânicas: Norwich, Reading, Manchester, Bristol, Glasgow, Edimburgo e Bath. Depois, seguiu para Paris, na França, na sede da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), braço das Nações Unidas para a promoção da cultura de paz, criada em 1945, logo após o fim da Segunda Guerra.
 
A exposição, que será aberta nesta quinta-feira (5/4), foi resultado de extensas pesquisas: pinturas de 20 artistas foram localizadas em coleções públicas no Reino Unido e serão reunidas pela primeira vez, desde a exibição original, em 1944. Os apoiadores no Reino Unido da exposição incluem Tate, Hepworth Wakefield, Ferens Art Gallery e a Galeria Nacional Escocesa. 
 
Sá Leitão representará o governo brasileiro, ao lado do embaixador do Brasil no Reino Unido, Eduardo dos Santos. A exposição foi intitulada "A Arte da Diplomacia: o Modernismo Brasileiro Pintado para a Guerra", com curadoria de Adrian Locke, curador sênior da Royal Academy of Art, e Hayle Gadelha, chefe do Setor Cultural da missão diplomática brasileira. 

British Council

Antes da abertura da exposição, Sá Leitão terá encontro com o chefe executivo do British Council, Ciarán Devane. O British Council é uma instituição pública do Reino Unido, cuja missão principal consiste na difusão da cultura e da língua inglesas no mundo, por meio de atividades educacionais e culturais. No Brasil, o Ministério da Cultura e o British Council são parceiros em eventos e projetos.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura