Notícias

« Voltar

Grupo de Trabalho promoverá ativos culturais no exterior

 
 
10.8.2017 - 9:56  
Ministros Aloysio Nunes (esquerda) e Sérgio Sá Leitão (centro) debateram a criação de um GT para promover ativos culturais no exterior (Foto: Janine Moraes/Ascom MinC)
 
 
Os ministros da Cultura, Sérgio Sá Leitão, e das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, decidiram criar um grupo de trabalho (GT) envolvendo as duas pastas para debater estratégias de promoção de ativos culturais no exterior. O encontro entre os dois ministros ocorreu nesta quarta-feira (9/8) no Palácio do Itamaraty, em Brasília. Já na próxima semana, a equipe dos dois ministérios vai realizar nova reunião para definir os membros do GT e um plano de trabalho.
 
Durante o encontro, Sá Leitão ressaltou que sua gestão será focada na economia da cultura e que há muitos ativos culturais ainda não rentabilizados com potencial de exportação internacional. Citou como exemplos o licenciamento de textos de teatro, produtos de moda, design, música e audiovisual.  
 
O ministro Aloysio Nunes disse considerar "fundamental" a criação do GT entre o MinC e o MRE, especialmente para acordos de coprodução audiovisual. Sá Leitão ressaltou a Nunes que a Agência Nacional do Cinema (Ancine) tem uma área internacional bastante ativa, mas que uma maior integração do MinC com o MRE inscreveria a Cultura na política externa brasileira.  
 
Também presente à reunião, a chefe do Departamento Cultural do MRE, ministra Paula Alves de Souza, frisou que seu departamento já tem um "casamento ideal e perfeito" com o Departamento Internacional da Ancine, mas que criar um GT com o MinC é uma iniciativa muito bem-vinda que estreitaria esta parceria.
 
Aloysio Nunes mencionou também a importância de difundir mais no exterior o choro, gênero de música popular e instrumental brasileira. "Sou um entusiasta do choro, e a todo estrangeiro que apresento, fica encantado", disse o ministro do MRE. Sá Leitão concordou: "o choro é familiar e, ao mesmo tempo, único".
 
China
 
Outro tópico da reunião foi a viagem do presidente Michel Temer à China, em setembro, que será uma oportunidade de fechar acordos entre os dois países na área cultural. "A cultura deve ser um tópico oficial da conversa entre o presidente Temer e o presidente chinês", afirmou Nunes. 
 
Sá Leitão lembrou que o país asiático será o homenageado na Bienal de Curitiba este ano, que terá a participação de 60 artistas chineses. "O mercado de cinema chinês é o maior do mundo, superou o da América do Norte", ressaltou o ministro. 
 
Outros tópicos da conversa entre os ministros foram a candidatura do Brasil ao Comitê do Patrimônio Cultural da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), a repatriação de obras de arte para o Brasil e o tráfico ilícito de bens culturais.
 
Também participaram do encontro o diretor do Departamento de Promoção Internacional do MinC, Adam Muniz, o subsecretário de Temas Culturais do MRE, embaixador Santiago Mourão, e a chefe do departamento da China do MRE, ministra Maria Isabel Vieira.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura