Notícias

« Voltar

Micsul atrai empreendedores de jogos eletrônicos

 
 
8.11.2017 - 11:15  
Bruna Pligher, da Webcor Games, participou da segunda edição do Micsul, em Bogotá, e pretende ir ao evento novamente em 2018 (Foto: Divulgação)
 
 
Animação e jogos eletrônicos será um dos dez setores contemplados na terceira edição do Mercado de Indústrias Culturais do Sul (Micsul), que será realizado em abril de 2018 na cidade de São Paulo. Apesar da crise econômica internacional, o mercado mundial de games vem apresentando crescimento expressivo. Pesquisa divulgada pela empresa Newzoo mostra que, em 2016, o mercado global faturou cerca de U$ 100 bilhões, um crescimento de 8,5% em relação a 2015. E a expectativa é que, em 2019, esse montante chegue a US$ 118,6 bilhões. 
 
No Brasil, o mercado segue a tendência mundial. De acordo com dados da 18ª Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2017-2021, realizada pela PricewaterhouseCoopers, o gasto com games em 2016 chegou a US$ 644 milhões no Brasil. Em 2021, a expectativa é que atinja US$1,4 bilhão, um crescimento médio de 17% ao ano. 
 
Para aqueles que participarão do Micsul 2018, é a oportunidade de mostrar produto, fazer negócios e internacionalizar a marca. Foi com esse intuito que, em 2016, Bruna Pligher, diretora-executiva da Webcor Games, empresa brasileira desenvolvedora de jogos e aplicativos, participou da segunda edição do evento, realizada em Bogotá. 
 
"Eu me interessei pelo Micsul porque queria ver o cenário dessa área na Colômbia e na América Latina, ver quem estava participando e se poderíamos fazer um trabalho conjunto", cona Bruna. "Eu achei um bom lugar para fazer networking e para ter uma ideia melhor do que ocorre na América Latina. Quero participar do Micsul 2018, vale a pena para se atualizar , saber o que os outros estão desenvolvendo e buscar mais possibilidades de coprodução", avalia. 
 
Camilla Slotfeldt, fundadora da empresa brasileira BitCake, especializada no desenvolvimento de jogos eletrônicos, também participou do Micsul 2016 em Bogotá. "Foi uma oportunidade muito interessante pra nós. Tínhamos experiência para apresentar projeto no exterior, tínhamos apresentado na China, na Europa, nos Estados Unidos, mas nunca tínhamos apresentado para países da América do Sul", informa. 
 
A fundadora da BitCake disse que também pretende participar do Micsul 2018. "Achamos muito bom fazer parte do Micsul 2016. É muito mais fácil fazer negócios com empresas da América do Sul, a barreira de idioma é menor, conheci vários outros desenvolvedores e tivemos vários contatos de negócios, que rendeu ótimos frutos", diz. 
 
Micsul
 
O Mercado de Indústrias Culturais do Sul (Micsul) é o maior evento multissetorial da economia criativa da América do Sul. Aberto ao público, busca gerar negócios e investimentos, capacitar empreendedores e internacionalizar bens e serviços culturais. Em 2018, o evento vai reunir atores de 10 setores da economia criativa: artes cênicas (circo, dança e teatro), audiovisual, animação e jogos eletrônicos, design, música, museus e patrimônio, artes visuais, moda, editorial e gastronomia.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura