Notícias

« Voltar

MinC concorre ao Prêmio Jabuti com atlas econômico cultural

 
 
 
 
8.11.2018 - 16:20  
 
 
O Ministério da Cultura concorre com a Coleção CEGOV – Atlas Econômico da Cultura Brasileira – metodologia I & II, no eixo Economia Criativa, ao Prêmio Jabuti, uma das maiores premiações literárias do Brasil. A cerimônia de entrega ocorre nesta quinta-feira (8), no Auditório Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP), e conta com a presença do secretário da economia criativa do MinC, Douglas Capela.
 
O secretário definiu o momento como "um reconhecimento e uma grande felicidade". Capela explicou que o objetivo do Atlas é ser um marco referencial teórico e metodológico de como fazer uma aferição dos setores culturais e criativos. "Queremos deixar como legado essa possibilidade de poder fazer essa medição", contou.
 
"Entender que esse livro é algo merecedor de ser ganhador de um prêmio, só em ter sido considerado em ser um dos candidatos, já é uma prova de que estamos no caminho certo. Com o livro, está documentado todo esse referencial teórico e metodológico. Isso vai auxiliar muito na aferição desses dados. Vai servir para sempre para muita gente", afirmou Capela.

Atlas Econômico

Inédito no Brasil, o Altas é considerado fundamental para a compreensão da importância da cultura na composição do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. A brochura concorre ao Jabuti com outros nove títulos.
 
São eles: Ninguém é Perfeito e a Vida é Assim - a música Brega em Pernambuco; Design de Capas do Livro Didático: a Editora Ática nos Anos 1970 e 1980; Era o hotel Cambridge: arquitetura, cinema e educação; Jingle é a alma do negócio: a história e as histórias das músicas de propaganda e de seus criadores; Manual de Inovanças - Criações à Brasileira; Poder suave (Soft power); Serra da Canastra: Refúgio das Aves do Cerrado; Viagens, Vinhos, História; e Xingu – Histórias dos Produtos da Floresta. 

Volumes

Os dois primeiros volumes, lançados em 2017, trazem o marco referencial teórico e metodológico que será usado para aferição dos dados. Ao todo, serão seis obras que pretendem, utilizando metodologia e critérios unificados de aferição, dimensionar o impacto da cultura na economia do País.
As duas primeiras unidades do Atlas esclarecem que o estudo será apoiado em quatro eixos: empreendimentos culturais, mão de obra do setor cultural, investimentos públicos e comércio exterior. O Atlas aponta ainda para algumas das cadeias produtivas que serão estudadas de forma prioritária: audiovisual, games, mercado editorial, música e museus e patrimônio.
 
Elaborado em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), o Atlas conta com a colaboração de instituições como a Organização das Nações Unidades para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o Banco Nacional de Desenvolvimento e Econômico e Social (BNDES), a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). 

Prêmio

Em sua 60ª edição, a premiação realizada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) traz algumas novidades, como a reorganização das categorias em quatro eixos: Literatura, Ensaios, Livro e Inovação; a criação da categoria Formação de Novos Leitores, dedicada a ações de incentivo à leitura; as inscrições com preços mais acessíveis para autores independentes; e a premiação dos primeiros classificados de cada categoria, que receberão R$ 5 mil cada.
 
Além disso, haverá um grande vencedor do Jabuti, que poderá ser tanto de Ficção quanto Não Ficção. Concorrem ao prêmio de Livro do Ano, no valor de R$ 100 mil, os vencedores das categorias dos Eixos Ensaios e Literatura. A cerimônia também contará com uma homenagem ao poeta amazonense Thiago de Mello, que receberá prêmio "Personalidade Literária", em reconhecimento ao conjunto de sua obra – referência da literatura regional do Brasil, conhecida internacionalmente e traduzida para mais de 30 idiomas.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura