Notícias

« Voltar

MinC inaugura o primeiro CEU do DF

 

12.6.2017 - 12:34  
Secretário Raimundo Benoni (terceiro da esquerda para a direita) destacou que o CEU do Recanto das Emas é um "espaço de construção da cidadania". Governador Rodrigo Rollemberg (à esquerda) também participou da inauguração (Fotos: Janine Moraes/Ascom MinC)
 
Os CEUs integram programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços assistenciais, além de políticas de inclusão digital e de prevenção à violência
 
 
"A partir de agora, o desafio também é de vocês. Que estejam dispostos a conviver e a compartilhar, para formar aqui uma grande comunidade. Este é um espaço de construção da cidadania e pertence a vocês". Com essas palavras, o secretário de Infraestrutura Cultural do Ministério da Cultura (MinC), Raimundo Benoni, inaugurou o Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) de Recanto das Emas, na manhã de domingo (10), na presença do governador do Distrito Federal (DF), Rodrigo Rollemberg. 
 
O MinC investiu R$ 2,02 milhões na construção deste CEU, que se soma a 140 já inaugurados desde 2012. Até 2019, devem ser inaugurados outros 190 CEUS pelo País, que estão com obras em andamento. O MinC realiza o acompanhamento das obras e da implantação de um modelo de gestão participativa. Os CEUs integram um programa interministerial do governo federal, com investimento previsto no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). 
 
O Centro de Artes e Esportes Unificados inaugurado no Recanto das Emas -- região administrativa do DF -- conta com uma praça de esportes e lazer, dois edifícios multiuso, biblioteca, telecentro, cineteatro/auditório com 60 lugares, quadra poliesportiva coberta, pista de skate, equipamentos de ginástica, playground, pista de caminhada e Centro de Referência em Assistência Social (CRAS).
 
Espaço da Comunidade
 
Ao falar para a comunidade local, o secretário de Infraestrutura Cultura do MinC reforçou o papel cidadão do espaço, que integra programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços assistenciais, além de políticas de inclusão digital e de prevenção à violência. "É nosso dever garantir o direito à cultura. Tenho certeza de que colocamos à disposição da comunidade um espaço de integração e convivência", afirmou Benoni.
 
Moradora da região há 32 anos, Águida Maciel demonstrou grande contentamento em participar da abertura do CEU do Recanto das Emas
 
Moradora da região há 32 anos, Águida Maciel demonstrou grande contentamento em participar do evento: "O espaço é maravilhoso. Sou prefeita comunitária e entendo o valor dessas coisas para a comunidade. Com certeza vamos utilizar para fazer apresentações, dar cursos, oferecer mais cultura". O grupo Carimbó/Sirimbó do Recanto das Emas, dirigido por Águida, foi um dos escolhidos para se apresentar às autoridades presentes.O dia também contou, das 8h às 22h, com apresentações da Banda de Música do Corpo de Bombeiros, da Ginástica Rítmica da Escola Classe 803, do grupo Carimbó/Sirimbó do Recanto das Emas, do Instituto Batucar e da Capoterapia, entre outros. 
 
Presente na inauguração, o administrador regional, Paulo Roberto, agradeceu a instalação da estrutura no Recanto das Emas: "Para nós, é extremamente importante receber algo que vai ficar pra história da nossa cidade como um equipamento público crucial". Com uma área de 3.000 metros quadrados, o CEU do Recanto das Emas é o primeiro a ser inaugurado no Distrito Federal.
 
Para o governador do DF, Rodrigo Rollemberg, o centro é considerado o grande piloto do governo local no tocante à integração de diversas áreas estratégicas. "Temos uma percepção muito clara de que um espaço como este é de integração de políticas públicas e de construção de uma nova consciência, de uma sociedade que respeite e valorize a diversidade", afirmou o governador. Rollemberg ainda destacou que o CEU inaugura, no seu governo, "um novo modelo de gestão compartilhada". Ainda neste ano, estão previstas as inaugurações de outros dois CEUs no Distrito Federal, na região administrativa de Ceilândia.
 
Gestão compartilhada
 
Um espaço público de encontro, debate e construção de agendas coletivas. Essa é a realidade possível nos CEUs, concebidos para fomentar a mobilização da comunidade local. Nesse sentido, a gestão desses espaços é considerada um ponto crucial. Isso porque, para consolidar a participação social na gestão dos CEUs, os entes federados (municípios) devem constituir Grupos Gestores tripartites, compostos por um terço da sociedade civil, um terço da sociedade civil organizada e um terço do poder público local.
 
Integrante da comunidade e da sociedade civil no Conselho Gestor, o administrador Alceu Avelar parabenizou pela escolha deste modelo: "Nós, da sociedade civil, já provocamos essa questão da gestão compartilhada. Se isso de fato acontece, e com o estímulo do governo, é um passo enorme para o sucesso". Além de atuar no conselho, Avelar pretende inserir as práticas artísticas e educacionais que coordena, na administração da ONG Instituto Batucar. A organização promove aulas de percussão corporal, com foco em crianças e adolescentes. "Eu entrei no grupo quando eu era adolescente, estava perdido. O instituto me deu uma perspectiva de vida, tive estímulo para continuar estudando. Agora queremos chegar ao maior número de pessoas possíveis, empoderar nossas crianças", afirma o representante.
 
O presidente do Conselho de Cultura do Recanto das Emas e integrante do Conselho Gestor Céu das Artes, Alex Theiss, assumiu o papel de estimular iniciativas como a de Avelar, no CEU de Recanto das Emas. "Vamos tentar oxigenar o espaço. Não adianta ter esse espaço maravilhoso se não trabalharmos nele. O desafio começa realmente amanhã", afirmou, convocando a população de Recanto para ocupar o espaço.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura