Notícias

« Voltar

MinC lamenta morte da artista Rogéria

5.9.2017 - 10:40   
"Um homem vestido de mulher está a um passo do ridículo. Mas para o artista não existe ridículo", Rogéria (Foto: Reprodução Facebook)
 
 
O Ministério da Cultura manifesta pesar pelo falecimento da atriz Rogéria (74), ocorrido na noite desta segunda-feira (4). Astolfo Barros Pinto nasceu em Cantagalo, interior do estado do Rio de Janeiro, em 1943, e estreou no mundo artístico em 1964, nos palcos da Galeria Alaska, em Copacabana.
 
Ainda na adolescência – aos 14 anos, Astolfo cedeu espaço à Rogéria, uma das maiores transformistas do país. A artista teve a sua biografia, Rogéria – uma Mulher e Mais um Pouco, de autoria de Márcio Paschoal, lançada em 2016.
 
Foi maquiadora da antiga TV Tupi, participou de diversos programas na televisão brasileira, como o de Chacrinha, e marcou presença também nas telas de cinema. Era figura conhecida nos programas de auditório da Rádio Nacional, especialmente, nos que participava a cantora Emilinha Borba, de quem era fã. Em 1979, Rogéria recebeu o Troféu Mambembe, pelo espetáculo que fez ao lado de Grande Otelo.
 
Em agosto deste ano, a atriz foi internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratar um quadro de infecção urinária. Esta semana, houve um agravamento do estado de saúde, levando-a a ter problemas cardíacos e infecção generalizada.
 
O velório de Rogéria acontecerá no Teatro João Caetano, no centro do Rio de Janeiro, das 11h às 13h, apenas para amigos e familiares; e das 13h às 18h para o público.
 
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura