Notícias

« Voltar

MinC nomeia novo secretário de Infraestrutura Cultural

03.10.2017 - 18:50   

"Tenho satisfação em poder contribuir com a experiência e o conhecimento que adquiri na minha vida profissional, em prol da cultura brasileira", secretário de Infraestrutura Cultural, Alfredo Bertini (Foto: Divulgação Ascom MinC)
 
A nomeação de Alfredo Bertini como secretário de Infraestrutura Cultural do Ministério da Cultura (MinC) foi publicada nesta terça-feira (3), no Diário Oficial da União (DOU). Natural de Recife (PE), Bertini foi secretário nacional do Audiovisual de junho a dezembro do ano passado. Doutor em economia pela Universidade de São Paulo (USP), foi secretário de Turismo e Esportes da prefeitura de Recife em 2004 e 2005 e, logo depois, presidente do Fórum dos Festivais, entidade que congrega os realizadores de eventos audiovisuais do Brasil. Publicou em 2006 o livro Quando o caso é de cinema, a paixão é um festival.
 
Alfredo Bertini conversou com a Assessoria de Comunicação do Ministério da Cultura sobre seu retorno ao MinC e as prioridades para a área.
 
Ascom MinC: O que significa seu retorno ao ministério da cultura, agora à frente da Secretaria de Infraestrutura Cultural (Seinfra)?
Alfredo Bertini: Retorno com o mesmo nível de satisfação e comprometimento de quando aqui estive no ano passado. Satisfação em poder contribuir com a experiência e o conhecimento que adquiri na minha vida profissional, em prol da cultura brasileira. Comprometimento com um estilo e uma maneira de pensar que traga essa heterogeneidade do setor cultural para o seu papel de agente econômico, sem que se perca de vista seus valores históricos e sociais. E por entender que tenho esse pensamento um tanto afinado com o ministro Sérgio Sá Leitão, que conheço e admiro há muito tempo, não teria porquê não me recolocar à disposição do governo.
 
Ascom MinC: Já pode adiantar expectativas e principais frentes de trabalho que pretende desenvolver?
Alfredo Bertini: Teremos pela frente cerca de 15 meses de trabalho intenso, que passa pelos níveis de satisfação e comprometimento. Estou convicto de que os resultados, apesar desse curto espaço de tempo, serão promissores. Temos um cronograma de obras por entregar e também por executar dos CEUs, assim como, algumas obras de recuperação ou instalação de ambientes culturais que vamos analisar, caso a caso. O importante é registrar nossa intenção a favor das parcerias com o setor, com as outras esferas governamentais e o Parlamento, sem os quais nosso êxito será diminuto. Confiança e entusiasmo, porém, não nos faltarão.
 
Ascom MinC: A Seinfra tem como objetivo construir, reformar e modernizar equipamentos Culturais. Há prioridades em relação a esses equipamentos? O ministério pretende reforçar alguma área específica nesse sentido?
Alfredo Bertini: Daremos continuidade ao que julgarmos prioritário, como é o caso dos CEUs e das demais obras em andamento. Novos esforços de projetos de obras civis passarão pelo crivo da importância, ciente das relevâncias estabelecidas pelo segmento cultural envolvido e pelo poder público parceiro.
 
Ascom MinC: Os CEUs (Centros de Artes e Esportes Unificados) são, atualmente, um dos carros-chefes da secretaria. Qual a visão do senhor sobre essa política e de que forma pretende conduzi-la?
Alfredo Bertini: Trata-se de um projeto de relevância social e cultural, que se mantém no rol das prioridades do Ministério e, consequentemente, do governo. Evidente que estaremos atentos com a responsabilidade de conduzi-los da melhor forma possível, para que essas importantes entregas para a sociedade tenham não apenas o sentido físico da obra – na sua essência, o conteúdo cultural tem igual ou maior valor a ser agregado. Esse deve ser o espírito do trabalho, em sintonia com o que pensa o próprio governo federal.
 
Ascom MinC: A secretaria tem interesse em firmar parcerias, convênios e acordos de cooperação para auxiliar na manutenção, construção, reforma e modernização de equipamentos culturais?
Alfredo Bertini: Sem dúvida. E já estamos nos organizando para isso. Alguns contatos estão em andamento, na intenção de que a parceria é fundamental para o êxito do nosso trabalho. Até mesmo o engajamento da iniciativa privada, que vê também no compromisso social uma responsabilidade da empresa, certamente será convocada para contribuir.
 
Ascom MinC: É possível apoiar e desenvolver projetos em comum com outras esferas de Governo? O MinC tem disponibilidade para oferecer esse apoio?
Alfredo Bertini: Todo esforço que se direcione às parcerias públicas e privadas ainda será pequeno, tamanho o desafio de prover a sociedade de equipamentos culturais necessários ao desenvolvimento socioeconômico. Nosso compromisso é não perder de vista esse objeto e gerar alguns resultados, mesmo no curto espaço que teremos.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura