Notícias

« Voltar

Ministro da Cultura convida Academia Brasileira de Cinema para escolher comissão do Oscar

 
 
9.8.2017 - 14:11  
 
 
O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, convidou a Academia Brasileira de Cinema (ABC) para selecionar a comissão que escolherá o filme brasileiro candidato a representar o Brasil no Oscar, prêmio concedido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, nos Estados Unidos. A escolha da ABC para capitanear a seleção do filme reforça uma parceria já estabelecida anteriormente entre o Ministério da Cultura (MinC) e a entidade.
 
Até o ano passado, a escolha da produção cinematográfica era integralmente coordenada pela Secretaria do Audiovisual (SAv) do MinC. Mas mesmo quando não estava à frente da definição dos jurados, a Academia já era responsável pela indicação de pelo menos dois dos sete integrantes da comissão do Oscar. A decisão do ministro tem por objetivo democratizar o processo de seleção e foi tomada juntamente com o Conselho Superior de Cinema. 
 
"O Ministério da Cultura, por meio da Secretaria do Audiovisual (SAv), fará apenas o acompanhamento. A ABC é responsável pela realização do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, premiação de abrangência nacional comparável ao prêmio americano. É a entidade brasileira que mais se assemelha à Academia de Artes e Ciências Cinematográfica de Hollywood, portanto tem total sintonia", explicou Sá Leitão. 
 
Na avaliação do ministro, é fundamental que o representante brasileiro no Oscar seja do setor audiovisual e da sociedade civil. "A Academia foi uma instituição criada para reunir o conjunto dos profissionais do audiovisual. Eles têm toda a expertise necessária para conduzir esse processo", disse. O ministro lembrou que a ABC já compôs diversas comissões de seleção, sempre indicando profissionais de grande relevância para o contexto cinematográfico.
 
A decisão está em consonância com a intenção do ministro da Cultura em estabelecer um diálogo permanente com a sociedade e com o conjunto da cultura brasileira. "A participação da sociedade estimula o senso de pertencimento e impacta na formação do capital humano. E a cultura pertence ao campo da sociedade civil", defendeu o ministro. 
 
Vice-presidente da Academia Brasileira de Cinema, Jorge Peregrino afirmou que a determinação do MinC veio ao encontro de uma demanda antiga da entidade. "Poder contribuir para a escolha do filme brasileiro que concorrerá ao Oscar era um desejo tanto do presidente da ABC, Roberto Farias, quanto de outros membros. Delegar para a iniciativa privada uma atribuição que o Estado brasileiro poderia manter até de forma menos isenta simboliza um enorme avanço para todos aqueles que trabalham com audiovisual", declarou.
 
Peregrino acredita que a determinação do ministro da Cultura é também uma forma de prestigiar a Academia Brasileira de Cinema. "Compor a equipe de jurados da Comissão do Oscar será fundamental até mesmo para o fortalecimento da Academia como entidade representativa do audiovisual", completou. 
 
Inovações no processo
 
Na próxima semana, o MinC deverá publicar uma portaria que formaliza a parceria com a Academia Brasileira de Cinema por meio de um Acordo de Cooperação Técnica. Os nomes da nova comissão de jurados deverão ser encaminhados à Academia americana até o próximo dia 16. Este ano, pela primeira vez, todo o processo de inscrição dos filmes a serem analisados pela comissão do Oscar será feito on-line em um servidor mantido pelo Ministério da Cultura. Os interessados em inscreverem seus filmes no Oscar 2018 poderão inserir seus projetos em uma plataforma à qual a comissão de jurados terá amplo acesso. 
 
Composta por mais de 200 associados, a Academia Brasileira de Cinema surgiu como importante instrumento de promoção, discussão e fortalecimento do audiovisual brasileiro. A Academia foi formada em 2002 e trouxe já como uma de suas missões a criação do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, o Oscar brasileiro. 
 
A premiação anual é organizada e votada pelos próprios profissionais do setor e, além de ajudar a divulgar a produção cinematográfica nacional, permite o reconhecimento da qualidade técnica e artística dos filmes brasileiros. A Academia contempla longas-metragens em 22 categorias e mais curtas-metragens, nas categorias Ficção, Documentário e Animação. Os curtas são pré-selecionados pelas Associações Brasileira de Cinema de Animação (ABCA), de Críticos de Cinema (Abraccine), pelo Festival É Tudo Verdade, pelo Fórum dos Festivais e pelo Porta Curtas.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura