Notícias

« Voltar

Programação MinC: celebre o mês da Consciência Negra

 

 

Foto: Divulgação
 

19.11.2018 - 14h20

Celebrado em 20 de novembro, data de morte de Zumbi dos Palmares (1655-1695), ícone da resistência à escravidão no Brasil, o Dia Nacional da Consciência Negra contará, nesta terça-feira e durante o restante do mês, com programação especial produzida pelo Ministério da Cultura (MinC) e suas instituições vinculadas. Entre os destaques estão encenação na Serra da Barriga, em Alagoas, onde se localizava o Quilombo dos Palmares, promovida pela Fundação Cultural Palmares (FCP), exposições em quatro museus do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e um seminário internacional, promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), sobre o Cais do Valongo, no Rio de Janeiro, principal porto de entrada de escravos no Brasil e nas Américas e reconhecido como Patrimônio Mundial em 2017. Confira abaixo a programação completa.
 

FUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES
 
Solenidade de celebração do Dia Nacional da Consciência Negra com Tributo à Zumbi dos Palmares
Dia: 20/11, no Parque Memorial Quilombo dos Palmares – União dos Palmares (AL).
Aprender com o passado para construir o futuro. Uma história musicada de um casal contemporâneo que descobre sua origem a partir do Quilombo dos Palmares, onde viveram negros, brancos e índios é o tema de encenação que será realizada pela Fundação Cultural Palmares (FCP) no Parque Memorial Quilombo dos Palmares, em Alagoas. A encenação contará com a apresentação de um coral em Iorubá, do ator, cantor, escritor e compositor Altair Veloso e de artistas locais. A encenação foi criada por Altair Veloso especialmente para o 20 de novembro deste ano, em celebração aos 30 anos da FCP, e tem direção do compositor, poeta e teatrólogo Paulo César Feital. Também serão realizadas oferendas e homenagem a Zumbi com orquestra de tambores.
 

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS
 
Programação Especial Museu da Abolição  
Até 27/11
Endereço: Museu da Abolição – Rua Benfica, 1150 – Recife (PB)
O Museu da Abolição (MAB), em Recife (PE), encabeça a celebração do Dia da Consciência Negra com exposições, performances e seminário. Durante todo o mês, o museu oferece ao público a exposição temporária "Os da Minha Rua: Poéticas de R/existência de Artistas afro-brasileiros", que reúne a produção visual de dez artistas negros contemporâneos, levantando importantes questões sobre a cultura africana e a cultura afro-brasileira e questionamentos em relação ao lugar da negra e do negro na sociedade brasileira. Como parte da programação para o Mês da Consciência Negra, o MAB promove performance com Ana Lira, uma das artistas que expõem obras na mostra em cartaz, no dia 23 de novembro, às 15h. No dia 21, no mesmo horário, o convidado para realizar performance é o artista Carlito Person; e no dia 28, das 16h às 20h, a convidada é a artista negra contemporânea Priscila Rezende. A programação especial inclui ainda o Seminário Protagonismo Negro nas Lutas Libertárias, que o MAB promove no próximo dia 27, a partir das 14h. O evento será realizado em parceria com a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) e a Cátedra Gilberto Freire/UFPE. O público também poderá visitar durante todo o mês de novembro as exposições de longa duração "130 Anos: Abolição?" e "Novos Objetos, Novas Coleções".
 
Programação Especial Museu das Bandeiras
Até 27/11
Endereço: Museu da Abolição – Praça Brasil Caiado – Cidade de Goiás (GO)
No Museu das Bandeiras, em Goiás (GO), a difusão da memória afro-brasileira terá lugar em programações como o "Varal de Memórias", que em novembro terá como tema "Sujeit@s Negr@s". A ideia é evidenciar personalidades negras da cidade, do estado de Goiás e do Brasil que alcançaram fama como artistas, intelectuais, acadêmicos, escritores, juristas, políticos e líderes sociais. O museu também recebe a exposição "Arcelina em África: olhares, trocas e sensações", resultado da peregrinação da jornalista paulista Arcelina Públio Dias pelo continente africano nos anos 1990. O recorte visual é de sua passagem por Angola, país que possui estreitos e tristes laços com o Brasil em virtude da escravidão no período colonial. Ainda como parte da programação especial, o setor de Arquivologia do Museu das Bandeiras promoverá ao longo deste mês ações públicas voltadas à democratização do seu acervo, como a já realizada aula aberta "Escravidão e Cadeia em Goiás" (foto), na qual foram apresentados documentos que revelam detalhes sobre a escravidão em Vila Boa de Goiás, bem como o cotidiano da antiga Casa de Câmara e Cadeia, situada no prédio que hoje sedia a instituição.
 
Programação Especial Museu de Arte Religiosa e Tradicional
21 e 29/11 – 14h às 18h
Endereço: Museu de Arte Religiosa e Tradicional – Largo de Santo Antônio, s/nº – Cabo Frio (RJ)
O Museu de Arte Religiosa e Tradicional, em Cabo Frio (RJ), promove nos dias 21 e 29, às 14h, sessões de conversa com Ricardo Alves, curador da exposição temporária "Terra de Quilombo, Retrato de uma Etnia" para escolas previamente agendadas.
 
Programação Especial Museu Regional Casa dos Ottoni
24/11
Endereço: Museu Regional Casa dos Ottoni – R. Matosinhos, 329-423 – Serro (MG)
O Museu Regional Casa dos Ottoni, em Serro (MG), promove no próximo dia 24, a partir das 14h, o II Encontro Meu Cabelo Natural. Voltado ao fortalecimento da autoestima e empoderamento afro, o evento contará com oficinas de cortes e penteados, desfile e apresentação de grupo de capoeira, entre outras atrações.
 
 
FUNDAÇÃO NACIONAL DE ARTES (FUNARTE)
 
Exposição ‘Mãe Preta'
Até 25/11 – 11h às 19h, fins de semana até 21h
Endereço: Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos – São Paulo (SP)
As conhecidas imagens das amas de leite negras, registradas de meados do século XIX ao início do século XX, são o ponto de partida da pesquisa das artistas Isabel Löfgren e Patricia Gouvêa para a realização da exposição Mãe Preta, que recebeu o Prêmio Funarte Conexão Circulação Artes Visuais de 2016. A mostra já foi exibida no Rio de Janeiro, em 2016, e também em Belo Horizonte, em 2017, no Palácio das Artes. Após o sucesso de público, a exposição chega a São Paulo, na Galeria Mario Schenberg, da Funarte. A  mostra segue em cartaz até 25 de novembro, reunindo fotografias, vídeos, instalações, performance e literatura.
 
 
INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (IPHAN)
 
Seminário Internacional Cais do Valongo Patrimônio Mundial
23/11, no Museu de Arte do Rio (MAR)
Inscrições limitadas até terça-feira, 20 de novembro, pelo e-mail seminariointernacionalvalongo@gmail.com (tolerância de chegada até às 9h30, pede-se informar desistências com antecedência).
Lugar de memória de uma história que a humanidade não pode esquecer, o Cais do Valongo, principal porto de entrada de escravos no Brasil e nas Américas, foi reconhecido como Patrimônio Mundial em 2017. O Seminário Internacional Cais do Valongo Patrimônio Mundial irá marcar a cerimônia de entrega do título conferido pela Unesco e debater os desafios da gestão e interpretação do sítio. Com a participação de especialistas internacionais em sítios de memória sensível, o seminário fará uma reflexão sobre a necessidade de se avançar no processo de gestão compartilhada desse Patrimônio Mundial. Uma realização da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, em parceria com o Iphan e a Representação da Unesco no Brasil, o evento também irá discutir a construção do Museu da História e da Cultura Afro-Brasileira, na zona portuária, dedicado à escravidão e à herança afro. O novo projeto de conservação do sítio arqueológico do Valongo, que contará com investimento de US$ 500 mil, em parceria com o consulado dos EUA, será apresentado por Ricardo Piquet, diretor do Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG). No encerramento, haverá ainda a posse do Conselho Consultivo do Museu da História e da Cultura Afro-Brasileira.
 

Confira outras programações do Ministério da Cultura para o mês de novembro
 
CINEMATECA BRASILEIRA
 
Sessão ABPA
Dias: 22 a 24/11
Endereço: Cinemateca Brasileira – Largo Senador Raul Cardoso, 207 – São Paulo (SP)
Este ano, a Sessão ABPA, que é uma programação composta por curtas-metragens de diversos arquivos audiovisuais brasileiros, será exibida na Cinemateca Brasileira. A seleção tem como eixo curatorial o que se pode chamar de "outros filmes", categoria que inclui documentários educativos, campanhas de saúde, filmes amadores e experimentais. A Associação Brasileira de Preservação Audiovisual (ABPA) é uma associação civil, de direito privado, sem fins econômicos, de caráter cultural, técnico e científico. Seu objetivo é estimular a conscientização e a promoção do interesse público pela salvaguarda e acesso ao patrimônio audiovisual brasileiro, como fonte histórica, cultural artística, educativa e econômica. Os ingressos, gratuitos, serão distribuídos na bilheteria uma hora antes de cada sessão, sujeito à lotação da sala.
 
 
FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA
 
Mostra ‘100 anos do fim da Primeira Guerra Mundial'
Até 13/01 – 10h às 17h30 (terça a sábado), 14h às 18h (sábados e domingos)
Endereço: Fundação Casa de Rui Barbosa – Rua São Clemente 134 – Rio de Janeiro (RJ)
Até 13 de janeiro de 2019 estará em exposição no Museu Casa de Rui Barbosa 23 documentos, preservados na Coleção Família Barbosa de Oliveira, no Arquivo João Pandiá Calógeras e no Arquivo Rui Barbosa, produzidos entre os anos de 1914 e 1920. A entrada é gratuita.
Os documentos registram alguns momentos marcantes e algumas consequências do conflito: sua conflagração, o desenvolvimento de organizações humanitárias, o trabalho das equipes médicas, a participação do Brasil, a vitória dos países aliados, a organização da Conferência de Paz de Paris e a criação da Liga das Nações.
 

FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL
 
Projeto Literatura Aberta – Falando de Shakespeare
Até 27/11 – 15h às 17h
Endereço: Casa da Leitura – Rua Pereira da Silva, 86 – Rio de Janeiro (RJ)
O Módulo II do projeto ‘Literatura Aberta - Falando de Shakespeare' chega agora à discussão da quarta peça, ‘Júlio César', a ser realizada nos dias 13 e 27 de novembro na Casa da Leitura. Esta etapa terá a participação de Samuel Abrantes como palestrante convidado, e de Miriam Halfim como coordenadora.
Dentre as 38 peças escritas por William Shakespeare, Júlio César, de 1599, é sua obra política por excelência. Nela se digladiam com maestria o conflito insolúvel entre a liberdade e a autoridade, entre o bem público e as ambições pessoais, entre o dever e o interesse. Nesse trabalho emblemático revela-se, no governante que dá nome à peça, a arrogância do poder; em Brutus, o sentimento republicano e o dilema existencial; e em Marco Antonio, a arte da Retórica.
Júlio César, falando da Roma dos Césares, mantém-se atual como nunca ao retratar a eterna disputa pelo poder, os jogos políticos e de manipulação, com a dramaturgia que confirma William Shakespeare como um dos maiores intérpretes da alma humana.
 
Exposição ‘São Francisco na Arte de Mestre Italianos'
Até 27/1 – 10h às 17h (terça a sexta), 13h às 17h (sábado e domingo)
Endereço: Museu Nacional de Belas Artes – Avenida Rio Branco, 199 – Rio de Janeiro (RJ)
Com curadoria do especialista em História da Arte, Giovanni Morello e de Stefano Papetti, a mostra inclui obras de Perugino, Guido Reni e Tiziano, entre outros, apresentando as fases mais relevantes da representação de São Francisco.
As obras que compõem a exposição são acervos de 15 museus de 7 cidades italianas: Galleria Corsini, Palazzo Barberini, Musei Capitolini, Museo di Roma, Museo Francescano dell'Istituto Storico dei Cappuccini (Roma); Pinacoteca Civica, Sacrestia della chiesa di San Francesco, Convento Cappuccini (Ascoli Piceno); Museo Nazionale d'Abruzzo (L'Aquila), Galleria Nazionale dell'Umbria (Perugia); Istituto Campana per l'Istruzione permanente (Osimo); Museo Civico (Rieti), Pinacoteca Nazionale (Bolonha) e Duomo di Novara (Novara). A mostra conta ainda com uma importante obra de Ludovico Cardi (dito Il Cigoli), "St. Francis Contemplating a Skull", propriedade do colecionador e ator americano Federico Castelluccio.
A mostra também inclui uma sala de Realidade Virtual que vai transportar o visitante para a Basílica Superior de Assis (1228), cidade natal do santo na região da Úmbria, no centro da Itália, com o uso de óculos de tecnologia 3D, onde será possível caminhar por uma das mais importantes e belas basílicas do país e conhecer obras-primas do pintor italiano Giotto (1267-1337), artista símbolo dos períodos medieval e pré-renascentista.
 
Mostra ‘O desenho de Lasar Segall'
Até 17/6 – quarta a segunda-feira, de 11h às 19h
Endereço: Museu Lagar Segall – Rua Berta, 111 – São Paulo, SP
Com curadoria de Giancarlo Hannud, diretor do museu, a mostra "O desenho de Lasar Segall" traz 54 desenhos dos mais de 2,4 mil que integram o acervo da instituição, revelando a inesgotável riqueza expressiva e técnica de sua produção.
 
 
FUNDAÇÃO NACIONAL DE ARTES (FUNARTE)
 
Mostra de xilogravuras sobre o imaginário nordestino
Até 19/11 – 11h às 21h
Endereço: Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos – São Paulo (SP)
Inédita no país, a mostra Bestiário Nordestino, que ocupa a Galeria Flávio de Carvalho, no Complexo Cultural Funarte SP, é composta por dezenas de obras de xilogravura. A curadoria dos artistas Rafael Limaverde e Marquinhos Abu reúne imagens que resgatam a história e o imaginário do povo do Nordeste. O projeto foi contemplado com o Prêmio Funarte Conexão Circulação Artes Visuais – Galerias Funarte de Artes Visuais São Paulo. A visitação se estende de 5 de outubro a 25 de novembro, de segunda a sexta, de 11h às 19h; sábado e domingo, das 11h às 21h.
 
Espetáculo ‘Museu das Pequenas Coisas'
Até 24/11 – 20h30 (sábados e domingos)
Endereço: Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos – São Paulo (SP)
A peça Museu das Pequenas Coisas narra a trajetória de uma mulher que busca no cais o refúgio para um conflito e vê, no oceano que se abre à sua frente, a possibilidade de um horizonte salvador. Com uma mala baú, que abriga seus objetos e memórias, ela espera o resgate e se vê diante da necessidade de escolher o que levar consigo e o que deixar para trás.
O espetáculo, construído de modo independente e colaborativo, tem texto da atriz Lilian Guerra, com a colaboração da diretora Cida Almeida, além de animações e imagens da artista multimídia Ana Luiza Anker. A partir do encontro dessas três profissionais, mediadas por Lilian Guerra, a obra explora a intersecção entre atriz, imagem e objeto de animação, a condução e a parceria no jogo cênico.
 
Espetáculo ‘Yerma'
Até 29/11 – 19h (quartas e quintas)
Endereço: Teatro Dulcina. Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro – Rio de Janeiro (RJ)
O espetáculo Yerma é baseado na obra homônima escrita em 1934 pelo poeta espanhol Federico García Lorca. A ação se passa no meio rural e conta a trajetória de uma mulher que não consegue realizar o desejo de ser mãe. Diversas situações e conflitos são retratados na trama, questões relacionadas à convivência social, aos relacionamentos, à religiosidade e honra, principalmente feminina. Temas que o autor trabalhou nesse texto de forma poética e crítica.
 
Espetáculo ‘Jogos na hora da sesta'
Até 2/12 – Sextas e sábados, às 20h30, e domingos, às 18h
Endereço: Teatro de Arena Eugênio Kusnet. Rua Dr. Teodoro Baima, 94, Vila Buarque – São Paulo (SP)
Um grupo de crianças brinca no parquinho da rua. Os jogos que se desenrolam ao longo do dia abrem brechas para que a personalidade de cada criança seja revelada. Assim, as brincadeiras incitam jogos de poder, violência e crueldade.
O espetáculo, com texto de Roma Mahieu, foi lançado em 1976, durante a ditadura militar na Argentina, e aborda a hostilidade do ponto de vista de quem violenta e de quem é violentado. Em uma tentativa de driblar a censura do regime vigente, a autora retrata a violência nas brincadeiras infantis. As balinhas, o capacete e a bicicleta funcionam como moedas de troca para que a hierarquia entre as crianças se estabeleça. Mas a tentativa falhou: em 1978, Jogos na hora da sesta foi censurado e Roma Mahieu passou a viver em Madri, Espanha.
 
Espetáculo ‘Nerium Park'
Até 2/12 – Sexta a domingo, às 19h
Endereço: Teatro Dulcina. Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro – Rio de Janeiro (RJ)
Em cena, Miguel e Malu são um casal de classe média à procura de qualidade de vida e da possibilidade de construir uma família longe da loucura da cidade. A compra de um apartamento no condomínio Nerium Park, um empreendimento residencial, parece ser a tradução desse sonho. Mas o entusiasmo inicial do casal com o conforto e o espaço da nova casa, com piscina e um parque, vai desaparecendo à medida que os meses passam e ninguém mais se muda para os prédios. É como se os dois vivessem em uma cidade fantasma. A crise econômica e o desemprego afastam os possíveis compradores, então o casal se vê isolado num estilo de vida que parecia perfeito. Porém, quando uma terceira pessoa aparece no condomínio, a trama ganha um outro sentido.
 

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura