Cultura nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos

« Voltar

Moradores de Natal acompanham chegada da Tocha Olímpica

6.6.2016 - 15:00  
O atleta Clodoaldo Silva foi o responsável por acender a pira olímpíca (Foto: André Mourão/Rio2016)
 
 
Natal (RN) se tornou, nesse sábado (4), a capital mundial do esporte olímpico e paralímpico. Incentivos por milhares de natalenses, 110 condutores, entre atletas, figuras públicas e moradores da cidade, carregaram a Tocha Olímpica pelas ruas da cidade. Entre eles o carateca André Calixta, que iniciou o revezamento, o nadador Clodoaldo Silva, ganhador de 13 medalhas – sendo seis de ouro – nos Jogos Paralímpicos, o ex-jogador de basquete Oscar Schmidt, presente em cinco Olimpíadas, e a jogadora de vôlei Virna Dias, duas vezes medalha de bronze nos Jogos. Diversas atividades culturais foram realizadas para receber a Tocha.
 
Último atleta a conduzir a tocha, Clodoaldo Silva foi o responsável por acender a pira olímpica ao final do revezamento. Ele classificou o momento como um dos "mais incríveis" de sua vida. "Não tenho palavras para descrever o que sinto. Quero dizer que vou honrar as cores do Brasil e do Rio Grande do Norte nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro", disse, emocionado.
 
O tour começou no Forte dos Reis Magos. Na sequência, a chama olímpica percorreu a orla urbana da cidade e seguiu em direção ao histórico bairro da Ribeira. Passou também por bairros como Ponta Negra e Candelária. A cerimônia de encerramento – acompanhada por uma multidão que enfrentou a chuva – ocorreu na Arena das Dunas, estádio construído para a Copa do Mundo de 2016.
 
Uma das responsáveis por conduzir a tocha foi a potiguar Magnólia Figueiredo. Presente em quatro Jogos Olímpicos, a corredora foi bastante festejada pelo público em seu trecho, na BR-101. "Tive a honra de participar das olimpíadas como competidora, mas estar aqui na minha cidade, carregando a chama olímpica, é algo indescritível", afirmou.
 
Idealizador do calendário esportivo do Rio Grande do Norte, o professor Manoel Modesto também conduziu a chama olímpica, protagonizando um dos momentos de maior emoção do dia. Recuperando-se de um acidente vascular cerebral, o Modesto locomove-se em cadeira de rodas. As limitações físicas, no entanto, não impediram o professor de participar do evento, em um trecho da Via Costeira.
 
O revezamento foi acompanhado por milhares de moradores da cidade. Amaury Silva levou a esposa, filhos e netos para assistir ao desfile e contou que estava muito feliz com a ida da tocha para Natal: "Na minha opinião, todo cidadão deveria prestigiar este momento, que é único na história do município. A chance de uma Olimpíada vir ao Brasil novamente é mínima e fiz questão de trazer toda minha família para sentir de perto o clima dos jogos com a passagem da tocha", disse.
 
Presente à cerimônia de encerramento, o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, destacou a importância da passagem da tocha, sobretudo para a divulgação da cidade no exterior, com a vinda de dezena de jornalistas estrangeiros. "Hoje, nossa linda cidade foi por instantes a capital mundial do esporte olímpico. Este evento movimentou todas as regiões da cidade, envolveu e emocionou quem veio acompanhar", destacou.
 
A tocha também foi carregada melo médico do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) Roberto Vital, pelo professor de vôlei Breno Cabral, pelo professor de artes marciais André Calixta, pela campeã paraolímpica de halterofilismo Maria Rizonaide e pelos jogadores de futebol Danilo Menezes (ABC), Souza (América) e Edmo Sinedino (Alecrim).
 
Atividades culturais
 
O tour da Tocha Olímpica também contou com diversos shows dos mais diversos estilos musicais. Dois polos receberam as apresentações: Praça Augusto Severo (Ribeira) e estádio Arena das Dunas. As atrações, contratadas por edital e com recursos do Ministério da Cultura (MinC), representaram um mosaico bastante representativo da cultura local e agradaram em cheio o público que assistiu aos shows. A ação foi uma realização das Olimpíadas Rio2016, Prefeitura de Natal e MinC.
 
Sobre Natal
 
Fundada em 1599, Natal conta com importantes monumentos, teatros, parques, museus e pontos turísticos, como a Fortaleza dos Reis Magos, o Centro Histórico, o Teatro Alberto Maranhão, os museus Câmara Cascudo e de Cultura Popular, os parques da Cidade Dom Nivaldo Monte e das Dunas, a Catedral Metropolitana e as praias de Ponta Negra e dos Artistas, entre outros.
 
A cidade conta com seis espaços teatrais: Casa da Ribeira; Complexo Cultural de Natal, que localiza-se no terreno onde funcionava o Complexo Penal João Chaves, que foi demolido; o Teatro Alberto Maranhão, mais antigo de Natal e tombado pelo patrimônio histórico e artístico potiguar; Teatro de Cultura Popular; Teatro Municipal Sandoval Wanderley; e Teatro Riachuelo.
 
Entre os museus e espaços culturais, destacam-se a Casa Câmara Cascudo, onde viveu o historiador potiguar Luís da Câmara Cascudo, o Centro de Turismo e Artesanato, que abriga cerca de 40 lojas de artesanato potiguar e lembranças natalenses, o Arquivo Público Estadual, com diversos acervos sobre a cidade e o estado, e o Balé da Cidade de Natal, localizado na Fundação Cultural Capitania das Artes (Funcarte) e sede de uma escola de balé.
 
Outro tradicional atrativo turístico para quem visita Natal é o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, base aérea de lançamento de foguetes espaciais pequeno e de médio porte, localizada no município limítrofe de Paramirim. Fundada em 1965, foi a primeira base aérea de foguetes da América do Sul.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Com informações da Secretaria de Comunicação de Natal