Cultura nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos

« Voltar

Nesta terça, orquestra toca rock brasileiro na Casa Brasil

16.8.2016 - 12:56  
Orquestrra Sinfônica Petrobras apresentará o projeto O Clássico é Rock, com versões de artistas do rock nacional, como Pitty, Ira e Titãs (Foto: Artur Medina)
 
 
A Casa Brasil é o espaço idealizado pelo governo federal para exibir a diversidade cultural brasileira durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016. Durante 45 dias, diferentes artistas e manifestações culturais vão se apresentar na casa, mostrando a moradores do Rio de Janeiro e a turistas brasileiros e estrangeiros um pouco da diversidade cultural brasileira. Em sua segunda semana de funcionamento, a Casa Brasil terá, além de exibição de filmes, uma rica programação musical, que inclui rock orquestrado, samba e choro. Nesta terça-feira (16), a Orquestra Petrobras Sinfônica exibe repertório popular. Grandes nomes do rock brasileiro desfilam em versões para naipes de metal, sopro e cordas. 
 
"Quando recebemos o convite para participar da programação da casa do nosso País durante os Jogos Olímpicos Rio 2016, nosso coração bateu mais forte. Estamos muito felizes", afirmou o diretor executivo da Orquestra Petrobras Sinfônica, Mateus Simões. "Para a apresentação, preparamos um repertório especial. Iremos tocar, pela primeira vez ao vivo, o nosso projeto O Clássico é Rock, que conta com versões de artistas como Pitty, Ira e Titãs", adiantou.
 
Além da apresentação da orquestra nesta terça-feira, a Casa Brasil oferece, ao longo da semana, ampla programação cultural, que inclui exibição de filmes sobre temática afro-brasileira, selecionados pela Fundação Cultural Palmares, shows e exposição, promovidos pelo Ministério da Cultura (MinC) em parceria com o Banco do Brasil e a Petrobras. Entre os artistas que se apresentarão estão Jards Macalé, Pedro Luís e o grupo de choro Luzeiro de Paquetá.
 
Audiovisual
 
No circuito audiovisual da Fundação Cultural Palmares, instituição vinculada ao MinC, serão exibidos O começo da Vida, na quinta-feira (18), e O axé do acarajé, na sexta (19). As sessões serão às 19h, no auditório do Armazém II. A entrada é franca, sujeita à lotação do local (200 lugares). 
 
Samba
 
Outro ponto de destaque da programação são as apresentações que fazem parte do projeto O Século do Samba, iniciativa do Banco do Brasil, com apoio do MinC. O programa, que no início do ano lotou os Centros Culturais Banco do Brasil (CCBB) de Brasília, São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, chega à Casa Brasil para apresentar quatro grandes vertentes do samba, representadas ao todo por cerca de 70 canções, que revelam a diversidade e o alcance de um gênero que não para de se reinventar.
 
Neste sábado (20), no público poderá conferir o terceiro show da série, Samba de breque e outras bossas, em que Jards Macalé e Pedro Luís prestam reverência ao mestre do samba-breque Moreira da Silva, o Kid Morengueira, com clássicos do estilo. 
 
"Acho legal que, durante essas apresentações da Casa Brasil, as pessoas saibam que existem várias formas de samba e o samba de breque é uma das formas mais criativas", destaca Macalé. "O samba é alegria do Brasil, é uma das formas mais divertidas. Ele não só fala das belezas como também das tristezas do Brasil. O samba é a carteira de identidade do Brasil".
 
Todas apresentações e as sessões de cinema ocorrem de forma gratuita, a partir das 19h, no auditório do Armazém II. Interessados devem chegar cedo para garantir lugar entre os 200 disponibilizados no auditório. Serão distribuídas senhas trinta minutos antes do início das apresentações.
 

Programação da Casa Brasil (16/8 a 20/8)

 
16/8, às 19h: Ensemble da Orquestra Petrobras Sinfônica
A orquestra apresenta pela primeira vez ao vivo o repertório especial O Clássico é Rock, que conta com versões de artistas como Pitty, Ira e Titãs
 
17/8, às 19h: Grupo de Choro Luzeiros de Paquetá
O repertório do grupo abrange um amplo panorama da história musical brasileira, passando pelo gênero típicos das bandas civis e militares, como dobradas, marchas e valsas. Os gêneros regionais, como choro, samba e maxixe, também serão contemplados nas obras de grandes compositores brasileiros, como Ernesto Nazareth, Tom Jobim e Moacir Santos.
 
18/8, às 19h: Filme O Começo da Vida
O filme mostra a importância da primeira infância, da gestação aos seis anos, para a formação de cada pessoa. Os primeiros anos contribuem para o pleno desenvolvimento do indivíduo e gera impactos positivos para toda a vida.
 
19/08, às 19h: Filme O axé do acarajé
O documentário conta a história do acarajé e suas diversas tradições. O filme documenta o fazer do acarajé como um bem imaterial, relacionando-o com a cultura afro-brasileira e aspectos religiosos. 
 
20/8, às 19h30: Show O Século do Samba – Pedro Luis e Jards Macalé
Os cantores homenageiam Moreira da Silva e o samba de breque, cantando clássicos do gênero como Acertei no Milhar (Wilson Batista e Geraldo Pereira), Na subida do morro (Geraldo Pereira, Moreira da Silva e Ribeiro Cunha), e Amigo urso (Henrique Gonçalez), entre outros. 
 
Casa Brasil
Período de funcionamento:
Até 18 de setembro. Entrada gratuita.
 
Visitação:
Período Olímpico - 4 a 18 de Agosto – 10h às 20h
Período entre jogos - 19 de Agosto a 6 de Setembro – 14h às 20h
Período Paralímpico - 7 a 18 de Setembro – 10h às 20h
 
Apresentações culturais
Período Olímpico - 4 a 18 de Agosto – 19h às 22h
Período Paralímpico - 7 a 18 de Setembro – 19h às 22h
 
Localização: 
Pier Mauá, armazéns 1 e 2, Rio de Janeiro (RJ)
 
Acesso: 
A pé ou por VLT (estação Parada dos Navios)
Recomendamos consultar os canais de comunicação da Prefeitura Municipal sobre eventuais fechamentos de vias
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura