Cultura nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos

« Voltar

Um dos produtos mais típicos de Belém, açaí é lembrado no trajeto da tocha

16.06.2016 - 12:25   
"Sairei com o espírito empreendedor renovado", diz Nazareno Alves (Foto: acervo pessoal)
 
 
Foi na terra do cupuaçu, vatapá e peixe frito que o empresário Nazareno da Silva Alves ganhou a vida e fez fama. Quando chegou em Belém (PA), aos 12 anos, o empresário roraimense se encantou com os ingredientes frescos e a gastronomia típica. O encantamento durou e rendeu frutos: um "império" em torno de um dos produtos mais conhecidos da região, o açaí.
 
Nesta quarta-feira (15), Nazareno terá mais um motivo para comemorar: será um dos 12 mil condutores brasileiros da tocha olímpica, que passa pela cidade ao longo do dia. "Para mim é uma honra, estou muito ansioso e feliz. Sairei com o espírito empreendedor renovado", orgulha-se o empresário.
 
A culinária é um das aspectos mais chamativos da cultura do estado, que também se destaca por diversas manifestações culturais, como a dança carimbo. "Quando cheguei aqui, via que todo mundo comia peixe frito com açaí, sempre isso, mesmo no sol doido", comenta Nazareno. "Aqui fazemos uma troca. O paraense não come arroz e feijão, ele come açaí e farinha de mandioca. Nossa gastronomia é única", acrescenta.
 
O negócio teve início em 2004, quando Nazareno transformou o pequeno pátio de casa em um balcão de venda de peixe frito com açaí. As primeiras semanas, sem muito sucesso, não desanimaram o jovem empreendedor. Isso porque, ao presentear amigos com as delícias que produzia, conquistou a famosa propaganda boca-a-boca. Pouco a pouco, conseguiu aumentar a produtividade: fez empréstimo em banco, cursos em gestão de negócios, comprou uma máquina de processamento de açaí. 
 
O foco na cultura local foi certeiro. O balcão deu lugar a um restaurante com duas mesas e seis lugares, que logo passaram a ser 64. Hoje, Nazareno conta com plantações de açaí e dois restaurantes, cada um com capacidade para cerca de 250 clientes. "Sempre tive paixão pela gastronomia e aqui estamos na floresta amazônica, é um diferencial. Você retira o açaí e já processa. O peixe também é muito fresco. O cheiro, o sabor, o gosto... É tudo muito vivo aqui", comenta.
 
Nos estabelecimentos, o carro-chefe é peixe – como o dourado – com açaí. Em breve, Nazareno abrirá um terceiro restaurante em que pretende aumentar as opções oferecidas aos clientes, com pratos típicos da região, como vatapá e tacacá. 

Revezamento da tocha

Após passar por Belém, a tocha se dirige, na próxima quinta-feira (16), a Macapá (AP). A capital do Amapá é uma das cidades que firmou convênio com o Ministério da Cultura para promover ampla agenda cultural durante o revezamento da tocha olímpica. 
 
O projeto Celebrações nas Cidades do Revezamento da Tocha Olímpica destinará de R$ 192 mil a R$ 250 mil para 18 capitais das cinco regiões brasileiras organizarem eventos que devem, preferencialmente, ser realizados em espaços públicos de grande circulação. As atividades devem divulgar a cultura, a arte e a gastronomia locais.
 
 
 
Cecilia Coelho
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura