Ordem do Mérito Cultural 2006

 

Celebração da Diversidade Cultural Brasileira
MinC homenageia com a Ordem do Mérito Cultural personalidades e instuições

Nesta quarta-feira, dia 8 de novembro, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o ministro da Cultura, Gilberto Gil, entregaram as insígnias da Ordem do Mérito Cultural 2006 a personalidades e instituições que se destacaram por sua contribuição à cultura brasileira, no Salão Nobre do Palácio do Planalto, em Brasília. A primeira-dama, Marisa Letícia, também participou da solenidade que teve como tema Patrimônios, Memórias e Valores Brasileiros.

Em seu pronunciamento, o ministro Gilberto Gil disse estar diante "de dedicados semeadores de hoje e de outrora, gente que plantou seus pomares mundo afora, neste e em outros continentes. Gente que hoje nos presenteia com a doçura simbólica de cada arte, cada gesto, muitos saberes e fazeres. Nossos frutos de hoje, essa grande cultura, foram cultivados por todos nós, e trazem em sua carne muitas sementes que fertilizarão sempre novos solos, alimentando outras gerações, inspirando tempos que estão por vir".

O ministro da Cultura destacou que a cerimônia da OMC é o reconhecimento da nação pelos feitos e obras dos agraciandos. "Um reconhecimento singelo diante da enormidade do trabalho de cada um que aqui está, contributos essenciais, ofícios e dedicações que muitas vezes se viram sozinhos, dependentes apenas de sua própria crença e empenho", assinalou.

"Todos que aqui estamos desejamos ainda adensar mais nossa cultura com nossas contribuições. Sinto-me satisfeito por poder, nesse quarto ano de nossa gestão, me reencontrar com minha gente e ver de novo outras tantas pessoas amigas desse nosso projeto. Um projeto para o qual emprestei minha voz, meu corpo e minha vida", afirmou Gil.

Discurso Ministro Gil Ordem do Mérito 2006

O presidente Lula discursou no fim da solenidade. "Cuidar de um país é fazer um pouco do que foi visto aqui, mostrar para o Brasil inteiro que nós temos diferenças extraordinárias no mundo cultural e que isso é um bem para o país", mencionou.

Lula comentou a emoção do ministro Gil durante a cerimônia: "acho muito gratificante ver um homem chorar, porque quando um cidadão se dispõe a soltar uma lágrima em público é porque ele está despojado daquela fortaleza que as pessoas querem que a gente tenha, mas não temos, pois somos seres humanos frágeis e reagimos de acordo com os acontecimentos".

Discurso Presidente da República Ordem do Mérito 2006

Apresentação Musical

O grupo Boi de Seu Teodoro, composto por cerca de 50 pessoas, fez uma apresentação na parte externa do Palácio do Planalto para dar as boas-vindas a quem chegava para a cerimônia. O líder do grupo, Teodoro Freire, foi um dos agraciandos nesta 12ª edição da OMC. A Banda de Pífanos de Caruaru iniciou o evento no Salão Nobre tocando o Hino Nacional Brasileiro. As outras duas apresentações musicais foram de Dona Teté do Cacuriá acompanhada de Rosa Reis e da Orquestra Tambores de Aço da Casa de Cultura Tainã.

Agraciandos

banda-de-pifanos_2_1163155294.jpgfoto-omc-_laura-cardoso_2_1163155362.jpgcasa-de-cultura-taina_2_1163155529.jpg

O teatrólogo Amir Haddad fez o pronunciamento em nome de todos os agraciandos. Haddad ressaltou as ações do Ministério da Cultura frisando que apenas a poucos anos a cultura do País começou a notar a "diferença entre existir e avançar".

São três as categorias da premiação: Grã-Cruz, Comendador e Cavaleiro. Nesta 12ª edição, foram contemplados um total de 46 agraciandos, dos quais 41 estiveram presentes ou mandaram representantes na última quarta-feira no Palácio do Planalto:

Amir Haddad (Teatro) – Comendador
Banda de Pífanos de Caruaru (Música) – Cavaleiro
Casa de Cultura Tainã (instituição) – Cavaleiro
Centro de Estudos e Ações Solidárias, Projeto Centro de Memória da Maré (instituição) – Cavaleiro
Conselho Internacional de Museus (Museu) – Cavaleiro
Cora Coralina, in memoriam (Literatura) – Grã-Cruz
Daniel Munduruku (Literatura) – Comendador
Dino Garcia Carrera, in memoriam (Dança) – Grã-Cruz
Dona Teté Cacuriá (Cultura Popular) – Comendador
Emanuel Nassar (Artes Plásticas) – Comendador
Escola de Museologia da UniRio (Museu) – Cavaleiro
Feira do Livro de Porto Alegre (Literatura) – Cavaleiro
Fernando Birri (Cinema Internacional) – Comendador
Grupo Corpo (Dança) – Cavaleiro
Intrépida Trupe (Circo) – Cavaleiro
José Mindlin (Literatura) – Grã-Cruz
Josué de Castro, in memoriam (Geógrafo) – Grã-Cruz
Júlio Bressane (Cinema) – Comendador
Laura Cardoso (Teatro) – Comendador
Lauro César Muniz (TV) – Comendador
Lygia Martins Costa (Museu) – Comendador
Luiz Phelipe de Carvalho Castro Andrès (Colaborador Iphan) – Comendador
Mário Cravo Neto (Fotografia) – Comendador
Mário de Andrade, in memoriam (Literatura) – Grã-Cruz
Mário Pedrosa, in memoriam (Artes Plásticas) – Grã-Cruz
Mestre Eugênio (Cultura Popular) – Comendador
Mestre Verequete (Cultura Popular) – Comendador
Ministério da Cultura da Espanha (instituição) – Grã-Cruz
Moacir Santos, in memoriam (Música) – Grã-Cruz
Museu de Arqueologia do Xingó (Museu) – Cavaleiro
Paulo César Saraceni (Cinema) – Comendador
Pompeu Christóvam de Pina (Artes Plásticas) – Comendador
Racionais MC'S (Música) – Cavaleiro
Rodrigo Melo Franco de Andrade, in memoriam (Chefe SPHAN, desde sua fundação, até 1968) – Grã-Cruz
Sábato Magaldi (Teatro) – Grã-Cruz
Santos Dumont, in memoriam (Literatura) – Grã-Cruz
Sivuca (Música) – Comendador
Tânia Andrade Lima (Museu) – Comendador
Teodoro Freire, Boi do Seu Teodoro (Cultura Popular) – Comendador
Tomie Othake (Artes plásticas) – Comendador
Vladimir Carvalho (Cinema) – Comendador

Os outros cinco agraciandos são alemães e receberão as medalhas posteriormente na Embaixada do Brasil na Alemanha. Todos eles são estudiosos, divulgadores da cultura brasileira, muitos deles organizam seminários e congressos relativos à nossa cultura: Berthold Zilly; Curt-Meyer Clason; Henry Thorau; Johannes Odenthal; e Ray-Gude Mertin.

(Carol Lobo / Comunicação Social/MinC)
Fotos: Agência Brasil